-->

Moradores de Lagoa Grande fazem barreiras nas portas das casas e dos comércios após prejuízos com a chuva

23 Janeiro 2020

A estimativa é que tenha chovido cerca de 155 milímetros. A estimativa é que tenha chovido cerca de 155 milímetros em Lagoa Grande na quarta-feira (22). Reprodução/TV
Grande Rio Os moradores de Lagoa Grande, no Sertão de Pernambuco, estão enfrentando os transtornos deixados pelo temporal que atingiu a cidade na última quarta-feira (22). Alguns comerciantes perderam mercadorias, e, para evitar mais prejuízos, algumas pessoas estão construindo barreiras para impedir entrada de água nas casas. A estimativa é que tenha chovido cerca de 155 milímetros. O motorista, Almir Rogério Alencar, precisou levar a esposa de resguardo para um local mais seguro que a própria casa. “A gente espera que o serviço da prefeitura venha resolver a situação da gente aqui. Está um cheiro de mofo, as coisas molhadas, porque ela está cirurgiada e o bebê recém-nascido, não tem condições dela voltar hoje”, lamenta. Alguns moradores estão construindo barreiras de tijolo nas portas das casas e comércios. Reprodução/TV Grande Rio Alguns moradores estão construindo barreiras nas portas das casas para evitar que a água invada mais uma vez. O proprietário de um comércio de ração improvisou uma barreira feita de tijolos após perder parte da mercadoria. “Vamos ficar monitorando, se aumentar, vamos fazer outra por cima. A esperança é reconstruir, comprar de novo e vender de novo”. A dona de casa, Ivonete Barbosa, mora na rua Leste há 19 anos, ela conta que está abalada por ter visto a água invadir a casa que havia sido reformada a pouco tempo. “Nunca aconteceu isso. Por irresponsabilidade de pessoas que não tem respeito com a sociedade, que tampam a saída da água. Perdi tudo dentro da minha casa, documentação, cama box, sofá. Um descaso com a população”. Aterro construído de maneira indevida que implicou nos alagamentos da cidade. Reprodução/TV Grande Rio Segundo o secretário de infraestrutura, Ademar Nonato, o aterro na rua Leste só justifica em parte o alagamento. Ele conta que a quantidade de chuva que caiu no município causaria transtornos de qualquer maneira. “Não é só a questão do aterro, ele implica e também não está certo. Tem prejuízo para as pessoas, mas, estamos avaliando isso socialmente de como a prefeitura pode contribuir”. Ademar informou que os trabalhos para abrir o aterro feito de maneira indevida vai começar na tarde desta quinta-feira (23). O proprietário de um comércio de ração está aliviado por ter conseguido abrir a loja normalmente. Reprodução/TV Grande Rio No centro da cidade, um restaurante que precisou ser fechado por conta da lama, nesta quinta-feira (23) voltou a funcionar normalmente. “Hoje tem comida no restaurante. Vai funcionar normal se Deus quiser”, afirma a comerciante, Maria de Lourdes.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 5993 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree