-->

Donos e condutores de embarcações lamentam queda no número de passageiros em Petrolina

27 Março 2020

As barcas da travessia entre Petrolina e Juazeiro transportavam cerca de 3 mil pessoas por dia e agora levam uma média de 200 pessoas. O distanciamento social para evitar
a disseminação do novo coronavírus tem afetado diretamente o movimento nos transportes coletivos em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. É o caso das embarcações que trafegam o rio São Francisco. Redução no número de passageiros foi sentida por donos e condutores de embarcações As barcas que fazem travessia para a cidade baiana de Juazeiro tiveram uma queda grande no fluxo de passageiros. Elas transportavam cerca de 3 mil pessoas por dia e o número caiu para a média de 200 pessoas. Das dez embarcações que fazem o serviço, só duas estão funcionando. "Nunca tinha acontecido na nossa região, reduzir o número de barcos, o número de passageiros em 95%, mas com fé em Deus isso vai melhorar", espera o timoneiro Jair Lopes. Os responsáveis por roteiros turísticos pelas águas do rio também já sentem os impactos causados pela pandemia da Covid-19. Em janeiro, uma das empresas, realizou 14 passeios, reunindo mais de 2.100 pessoas. Em março foram 400 passageiros, em apenas seis passeios. O último realizado no dia 15 deste mês. Foi preciso parar para evitar aglomerações e principalmente, porque os turistas sumiram. "Esperávamos que esse mês de abril com a semana santa, com alguns feriados, com a chegada do 1º de maio tivesse um aumento considerável e agora paramos de vez. Onde o nosso roteiro contempla justamente o agronegócio através do enoturismo e o ecoturismo que é a navegação no rio São Francisco. Temos parceiros, guias de turismo, músicos, hotéis, restaurantes, taxistas, enfim, todo mundo depende dessa cadeia do turismo, do enoturismo aqui no Vale do São Francisco. E agora a gente está parado, sem previsão, nessa expectativa, a depender do comportamento da população, que a gente retorne o mais rápido possível", explica o empresário de roteiros turísticos, Luiz Rogério Pereira. Donos e condutores de embarcações lamentam queda no número de passageiros em Petrolina. Amanda Franco/ G1 Já as travessias que levam turistas e moradores às ilhas do rio São Francisco foram suspensas. A determinação veio no último sábado (21), por meio de um decreto municipal. O documento assinado pelo prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, também proíbe o acesso às ilhas que ficam no município, que só poderão ser frequentadas por quem mora nelas. Na ilha do Rodeadouro, o movimento nos dias de domingo chegavam a 500 passageiros, mas desde o dia 15 as embarcações estão ancoradas.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree