-->

PIB de Pernambuco cai 4,5% no primeiro semestre de 2020

15 Setembro 2020

Redução foi ainda maior no segundo trimestre do ano, quando os setores econômicos do estado tiveram um resultado negativo de 9,6%. Dados foram divulgados nesta terça (15). No setor
industrial do estado, a construção civil teve queda por causa da pandemia e influenciou redução do PIB Valdinei Malaguti/EPTV O Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco teve uma redução de 9,6% no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período em 2019. Com isso, a diminuição registrada nos setores econômicos do estado no primeiro semestre de 2020 foi de 4,5%. Os dados foram divulgados pela Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem) nesta terça-feira (15), em uma transmissão pela internet devido à pandemia do novo coronavírus. A queda do PIB estadual foi menor que a diminuição do PIB nacional. A economia brasileira registrou uma redução de 11,4% nos meses de abril, maio e junho de 2020 e de 5,9% de janeiro a junho deste ano. Em valores de mercado, o PIB de Pernambuco alcançou R$ 38,9 bilhões no segundo trimestre de 2020 e R$ 90,5 bilhões no primeiro semestre deste ano. Em entrevista ao G1, o diretor de estudos e pesquisas da Condepe Fidem, Maurílio Lima, afirmou que o isolamento social e a suspensão de várias atividades econômicas por causa da pandemia da Covid-19 provocaram a redução no PIB de Pernambuco. “Nós tivemos, já no primeiro trimestre, o início da redução na atividade econômica tanto em Pernambuco quanto no Brasil, em decorrência dos efeitos da pandemia. No segundo trimestre, isso se agravou porque começou todo o processo de isolamento social e, como consequência, a parada das principais atividades econômicas, principalmente dos setores industrial e de serviços, que foram fortemente atingidos”, explicou. Setores econômicos Em Pernambuco, a agropecuária foi o único grande setor econômico que teve alta. O crescimento foi de 4,5% de abril a junho de 2020 e de 2,6% no primeiro semestre deste ano, em comparação com os mesmos períodos em 2019. Os destaques foram as lavouras temporárias, como o cultivo de milho, abacaxi, melancia e cana-de-açúcar. “O setor agropecuário não foi mais diretamente atingido pelo isolamento social, porque continuou com as atividades, como supermercados e a parte agrícola. O setor continuou o fornecimento dos produtos, não houve problemas com demanda. E a pecuária está atravessando bem esse período com a produção de aves e ovos”, declarou o diretor. A indústria registrou, no estado, uma redução de 14,7% no segundo trimestre de 2020 e de 5,8% nos primeiros seis meses do ano, no comparativo com igual período em 2019. Nesse setor, as maiores quedas ocorreram na indústria de transformação, que abrange veículos, produtos têxteis e metalurgia; e na construção civil. No setor de serviços em Pernambuco, a diminuição foi de 8,9% nos meses de abril, maio e junho deste ano e de 4,5% de janeiro a junho de 2020, quando comparado com os dados registrados nesses períodos do ano anterior. As principais reduções na área ocorreram no comércio e em transporte, armazenagem e correio. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree