-->

Alta no índice de desemprego no Piauí é uma das maiores do País

17 Fevereiro 2020

O Piauí é um dos quatro estados brasileiros que apresentaram aumento do desemprego no quarto trimestre de 2019. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada

pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 23 estados, apenas Piauí (0,30p.p), Sergipe (0,10 p.p.), Acre (0,80 p.p.) e Paraíba (0,90 p.p.) tiveram crescimento.

Leia também: Trabalhadores informais invadem praças e ruas do Centro de Teresina


Nos dados do terceiro trimestre, o Piauí apresentava taxa de desemprego de 12,70%. Na nova pesquisa, o número subiu para 13%, o que representa 195 mil pessoas desocupadas. O crescimento negativo fez o estado sair de 13ª unidade da federação com maior número de desempregados para ocupar a 9ª pior posição.

Os números observados no Piauí estão acima da média nacional registrada pelo IBGE. No cenário nacional, a taxa de desocupados caiu de 11,8% para 11% entre o terceiro e o quarto trimestre. Ainda são 11,6 milhões de brasileiros sem emprego. A maior taxa de desocupação ficou com o estado da Bahia (16,4%), enquanto a menor foi constatada em Santa Carina (5,3%).


Alta no índice de desemprego no Piauí é uma das maiores do País -Foto: Divulgação

Os estados vizinhos do Maranhão e Ceará apresentaram diminuição do desemprego. No Maranhão, o desemprego caiu de 14,10% para 12,10%. Já o Ceará reduziu de 11,30% para 10,10%. A cidade de Teresina é a capital do país que apresentou maior crescimento na taxa de desemprego quando comparados os números do terceiro e quarto trimestre do ano passado. O número subiu de 13,80% para 15,20%. Além de Teresina, outras cinco capitais tiveram crescimento no desemprego: Vitória (1,20 p.p.), Goiânia (1,00 p.p.), Boa vista (0,70 p.p.), Rio Branco (0,50 p.p.) e Salvador (0,10 p.p.).

Em toda a série histórica, esse foi o pior desempenho de Teresina. Do terceiro trimestre de 2016, quando 30 mil pessoas estavam sem ocupação, para o quatro trimestre de 2019, quando eram 70 mil pessoas, o crescimento foi de 133%. A taxa negativa deixou a capital piauiense como a quarta pior posição entre todas.

Por: Otávio Neto

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree