-->

“Temos que frisar o uso racional da máscara”, diz infectologista

27 Março 2020

Em tempos de pandemia, é comum ver quem não pode se isolar em quarentena e precisa sair de casa, usando máscaras cirúrgicas, sobre tudo se estiver em local de aglomeração de

pessoas. Mas ao contrário do que muitos pensam, estes equipamentos não possuem muita eficácia para pessoas saudáveis, devendo ser usado somente por quem estiver com o coronavírus ou apresentar problemas respiratórios como tosse, espirros e falta de ar.

Leia também: Covid-19: máscaras cirúrgicas são indicadas em casos específicos


O infectologista Carlos Gilvan Nunes, da Fundação Municipal de Saúde (FMS) explica que a máscara serve para conter as secreções provenientes do sistema respiratório de quem está doente. “Temos que frisar o uso racional da máscara. Eu sei que está todo mundo bastante preocupado com essa transmissão, mas ela não deve ser usada indiscriminadamente. É até aceitável usar no idoso quando ele realmente precisa sair de casa”, afirma o médico.

O que as pessoas saudáveis – os mais jovens e que não possuem histórico de comorbidades – devem se atentar é para a higienização das mãos e do ambiente à sua volta porque estas sim são as medidas mais eficazes no enfrentamento ao Coronavírus. Conforme discorre o dr. Carlos Gilvan, é preciso higienizar as mãos constantemente, seja com água e sabonete no momento em que se percebe alguma sujeira, seja com álcool em gel.


Foto: Jailson Soares/O Dia

E mesmo se não houver sujeira visível, o ideal é sempre manter as mãos devidamente limpas e não as levar ao rosto. Tocar na boca, nariz e olhos pode fazer com que micro-organismos infecciosos entrem em contato com as mucosas do nosso corpo e se disseminem no nosso organismo. O ideal também é evitar proximidade das pessoas, mesmo aquelas que convivam conosco no dia a dia. Manter uma distância de cerca de um metro é suficiente para evitar contágio.

Se houver alguém dentro de casa com sintomas respiratórios, seja tossindo ou espirrando ou até mesmo com falta de ar, o ideal é colocar uma máscara cirúrgica nessa pessoa e isolá-la em um quarto do qual somente ela faça uso. Manter a higienização dos ambientes com certa regularidade também é fundamental para evitar a disseminação do Coronavírus. O dr. Carlos Gilvan explica a forma mais eficiente de limpar os ambientes domésticos. “Higienizá-los com esses alvejantes e produtos sanitários comuns que a gente utiliza, desde que coloque uma parte do alvejante para cada 99 ou cem partes de água”, diz.

Ao sair de casa, em casos estritamente necessários, as pessoas se distanciar umas das outras e não ficar em aglomerações. Ao chegar em casa, deve-se tirar a roupa usada na rua e coloca-la para lavar, de preferência com água um pouco mais quente que a temperatura ambiente, entre 50 e 60 graus. Atenção também para os cuidados com o lixo da casa, especialmente se tiver alguém tossindo ou espirrando e essa pessoa estiver descartando os lenços na lixeira comum: é preciso usar luvas para manusear esse lixo e fazer posteriormente a higienização das mãos.

“São medidas que a gente precisa ter constantemente dentro de casa para que possamos evitar até a transmissão a outras pessoas do grupo de risco como avós, pais idosos ou pessoas com doenças crônicas. A gente tem que ficar de olho para prevenir mais problemas em relação ao Novo Coronavírus e contribuir para que ele não se dissemine mais”, finaliza o infectologista da FMS.

Por: Maria Clara Estrêla
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree