-->

Wellington Dias cobra investimentos e equipamentos prometidos por Bolsonaro

29 Março 2020

Após a confirmação da primeira morte causada pelo novo coronavírus (Covid-19) no Piauí, no último sábado (28), o governador Wellington Dias (PT), em entrevista à Folha de São Paulo, que ainda

aguarda um posicionamento do Governo Federal quanto às promessas de auxilio financeiro aos estados e municípios para o enfrentamento da pandemia, anunciados recentemente pelo presidente Jair Bolsonaro.

"O problema mais grave é que quase não chegaram as coisas anunciadas. Nem para estados, nem municípios", reclamou Dias. "Tive que contratar pessoal extra, comprar EPI (equipamento de proteção individual), ter mais UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e sala de estabilização, tudo isso por R$ 65 milhões. Esses bilhões que estão falando não estão chegando", apontou o governador, fazendo referência aos R$ 85,8 bilhões prometidos pelo governo federal para o combate à crise gerada pela pandemia.

Governador Wellington Dias (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

"O que chegou de material foi a conta-gotas. O EPI, eu comprei com antecedência, porque, se esperasse do Ministério [da Saúde], estaríamos em situação gravíssima. E precisamos dos respiradores. Não se faz uma política de segurança para coronavírus sem respirador", argumentou o governador ao jornal paulista.

Segundo informações dadas pelo chefe do executivo piauiense ao veículo de comunicação nacional, o estado conta hoje com aproximadamente 210 leitos de UTI para combater o novo coronavírus,embora afirme que o ideal é conseguir criar pelo menos mais 240.

Além da primeira vitima fatal por Covid-19, a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) contabilizava, até a tarde deste domingo (29), 11 pessoas infectadas pela doença, além de outros 176 pacientes monitorados.


Fonte: Folhapress
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree