-->

Álcool gel causa intoxicação em crianças; veja cuidados

30 Junho 2020

Desde que a pandemia por conta do novo coronavírus teve início, houve uma crescente demanda pelo

uso de álcool gel. Este item passou a ser essencial nas casas, no trabalho e está presente em todos os lugares, na bolsa, no quarto, dentro carro, entre outros. Porém, seu uso deve feito com cautela, especialmente se houver crianças por perto. Um levantamento divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revela que 81,48% dos casos de intoxicações por álcool gel envolviam crianças de até 14 anos.

Leia também: Procon-PI notifica 17 empresas sobre preços de máscaras e álcool em gel

De acordo com o estudo feito pelos Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox), em 2018 foram registrados 15 casos de exposição tóxica por álcool gel, de janeiro a abril. Considerando esse mesmo período, no ano de 2019, foram registrados 17 casos. Já nos quatro primeiros meses deste ano foram registrados 108 casos de intoxicação por álcool gel. Desses 108 casos registrados, 88 casos eram crianças. Isso representa sete vezes mais casos do que os que foram registrados em 2018.

Sabendo desse risco, a jornalista Ithyara Borges tem redobrado sua atenção com o pequeno Bento, de apenas três meses. Ela conta que seu principal cuidado é garantir que a mão do bebê esteja sempre limpa, já que ele costuma colocá-la na boca. E as recomendações também se estendem para quem vai pegar o bebê no colo.

“Como ele ainda é bebê, o cuidado que eu tenho é de levar as mãos dele e não deixar ninguém pegar. Se a pessoa passar álcool gel nas mãos pode pegar no Bento, mas não deixo que pegue nas mãos dele, pois pode ficar algum resíduo e ele levar à boca”, conta.

Uso do álcool gel em crianças deve ser com supervisão de um adulto (Foto: Agência Brasil)

Diante desses dados, a Anvisa lançou uma Nota Técnica (Nº 12/2020), destacando os cuidados que devem ser adotados ao utilizar álcool gel em ambientes com crianças, ações preventivas direcionadas a esse público. A primeira delas está relacionado à lavagem das mãos. Para as crianças, lavar as mãos com água e sabonete já é suficiente. O álcool gel deve ficar restrito apenas para ocasiões em que a higienização das mãos não é possível.

Confira a Nota Técnica da Anvisa na íntegra aqui.

Outra recomendação é com relação ao local de armazenamento deste produto. O álcool gel deve ficar fora do alcance das crianças, pois podem atrair a atenção principalmente daquelas menores, com idade entre 01 e 05 anos, causando acidentes.

Os pais ou responsáveis também deve redobrar a atenção com o álcool (líquido ou gel) por se tratar de um produto inflamável, ou seja, que pode causar acidentes com fogo e ocasionar queimaduras. Ao aplicar o álcool 70% é importante que a pessoa não fique perto de fontes de fogo (fogão, isqueiros, fósforos etc) e mantenha o produto sempre afastado do fogo e do calor.

Também deve-se evitar armazenar esses produtos em recipientes diferentes e não etiquetados. O álcool gel para ser usado pelas crianças não poderá ser apresentado sob a forma de aerossol e só pode ser usado por crianças desde que aplicado por adulto ou sob sua supervisão.

É importante frisar que a população, estando em casa, a higienização das mãos com água e sabonete é a mais recomendada, pois sua eficiência é equivalente ao álcool gel 70% no controle da propagação do Covid-19, além de evitar exposições desnecessárias ao álcool, que poderá resultar em um quadro de intoxicação se for utilizado de forma inadequada.

Em caso de emergências toxicológicas, nunca deve-se provocar vômito. Sempre tenha disponível o número 0800-722-6001 do Centro de Intoxicações (CIATox).

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree