-->

Créditos on-line de até R$ 25 mil somam usuários dia a dia

30 Junho 2020

A situação atual está sendo bastante favorável para a passagem de negócios

físicos ao mundo digital. Sem planejamento e com conhecimentos básicos, muitos se viram na obrigação de ter mais presença no mundo on-line para oferecer seus serviços e produtos. Outros, há algum tempo, oferecem seus produtos somente desta forma.

Qualquer uma das opções são válidas e com vantagens e desvantagens. Mas quem já estava atuando de forma on-line tem mais facilidades hoje em dia. Como é caso das Fintechs, empresas que oferecem produtos financeiros totalmente digitais. Ao contar com solidez e experiência na área oferecem mais benefícios para os clientes se comparamos com as tradicionais empresas do setor.

Segundo a pesquisa Fintech Deep Dive 2019, realizada pela PwC junto com a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), “cerca de três novas fintechs surgem, em média, no Brasil todos os meses” a maioria delas procuram oferecer serviços diferenciados (78%) e 63% procuram reduzir os custos, como principais diferenciais para seus clientes.

Neste sentido, oferecem operações enxutas e com poucos intermediários por isso os baixos custos operacionais, em comparação com as instituições financeiras tradicionais. Consequentemente as despesas repassadas aos clientes são menores. Além disso, ao utilizar tecnologia e estar buscando sempre melhorias, é possível que o tempo de demora para fazer diferentes operações também seja menor.

De 2018 para 2019 o aumento das fintechs no país foi de 34% segundo a indicação da Finnovation, no ano passado já eram 504 fintechs operando, cada dia ganhando mais terreno no mercado financeiro.

Segundo a pesquisa já mencionada de 2019 feita PwC 22% das fintechs entrevistadas atuam com meios de pagamento e 21% com créditos, financiamentos e negociação de dívidas. Mas estas não são as únicas áreas de atuação, hoje em dia os usuários podem fazer praticamente qualquer tipo de operação financeira criando uma conta digital ou fazendo seus cartões de crédito.

Os novos empréstimos pessoais oferecidos pelas fintechs procuram alcançar todos os clientes que precisam dinheiro, cada empresa focando em um segmento específico. Assim, duas fintechs que formam parte do Grupo Santander, estão focadas em oferecer empréstimos pessoais para pessoas físicas enquadradas nas classes C e D, são a Superdigital e a Sim.

Empréstimos da Superdigital e da Sim

Estas fintechs oferecem o Empréstimo Superdigital SIM. O cliente pode pegar entre R$ 500 e R$ 25 mil parcelado em 18 vezes. A análise de crédito é rápida, em até 2 minutos e o dinheiro pode ser liberado em até 3 dias na conta do cliente, sem oferecer garantias e de forma 100% digital.

Outras opções destas empresas são o Empréstimo Pessoal, que o cliente pode pegar até R$ 25 mil, com taxas entre 1,6% e 8% ao mês sem oferecer nenhum tipo de garantia. Esta opção disponibiliza um prazo mais em conta para fazer a quitação: 24 meses.

Por exemplo, se um cliente solicita R$ 15 mil, para financiar em 18 meses com uma taxa mensal de 2% terá que pagar 18 parcelas de R$ 1000,53. Mas esse mesmo empréstimo em 24 vezes, as parcelas ficam em R$ 793,07 por mês.

Se o cliente quiser pode fazer empréstimos usando um veículo como garantia. Se tiver uma moto, quitada e regularizada, com no máximo 5 anos pode obter até 60% do seu valor de mercado e ter até 2 anos para a quitação do crédito.

Se tiver um carro quitado, sem multas e de até 15 anos de fabricação pode conseguir até 85% do seu preço ou R$ 50 mil, com taxa fixa de 1,79% ao mês e 60 meses para pagar.

Se bem que a vistoria do veículo pode ser feita de forma on-line em ambos casos, é preciso reemitir o documento de registro do seu veículo nas oficinas do Detran. E neste momento isto pode trazer alguns inconvenientes pelo fato do atendimento ainda não estar normalizado.

Mas a ideia de oferecer empréstimos com eficiência para que o cliente possa resolver seus assuntos em tempo não é única destas empresas, outras fintechs oferecem empréstimos com ótimas condições, de acordo com o perfil do cliente. Também existem outros modelos de negócio que oferecem experiências inovadoras igualmente econômicas para todo tipo de cliente.


Outros tipos de empréstimos com juros baixos

Outra opção do mercado, é o modelo Peer-To-Peer Lending (Empréstimo entre Pessoas) regulado pelo Banco Central desde 2018. As Sociedades de Empréstimo entre Pessoas conectam investidores que emprestam seu dinheiro com pessoas (físicas ou jurídicas) que estão precisando um crédito.

Estas empresas funcionam de forma digital e praticamente sem intermediários, somente controlando que ambas partes cumpram com as obrigações dos contratos. Esta modalidade permite liberar empréstimos à baixo custo e com ótimas condições.

Uma das fintechs que disponibilizam este tipo de crédito é a Mova. O CET (Custo Efetivo Total) dos empréstimos varia entre 0,99% e 6,80% ao mês para pessoa física, dependendo do perfil do cliente. Quem quiser fazer este tipo de empréstimo precisa fazer um cadastro na plataforma, em base aos dados informados a empresa calcula as taxas para seu financiamento.

Mas o empréstimo não é a solução para tudo, é muito importante fazer uma boa análise prévia antes de tomar um compromisso deste tipo para não ter a vida mais prejudicada ainda. Avaliar a possibilidade de fazer reajustes no orçamento familiar e tentar renegociar dívidas são opções que devem ser consideradas antes de fazer um crédito. Se for necessário fazer um empréstimo analise todas as opções do mercado antes de se decidir por uma.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree