-->

Violência contra a mulher: delegacias do Piauí registram média de 12 BO’s por dia

13 Julho 2020

Com a pandemia do novo coronavírus e a necessidade de

cumprimento do isolamento social e das pessoas permanecerem em casa, uma preocupação que surge é com as mulheres vítimas de violência doméstica, que muitas vezes precisam ficar confinadas com seus agressores. Conforme os dados apresentados pela Secretaria de Segurança Pública do Piauí nesta segunda-feira (13), de 01 de janeiro a 30 de maio deste ano, as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM) do Piauí registraram 1.880 boletins de ocorrência por violência doméstica.

Leia também: Vítima de violência doméstica pode ter direito a R$1.200 do auxílio emergencial

A média é de 12,4 registros de BO lavrados a cada 24 horas. Em comparação com o mesmo período de 2019, a redução foi de 14,43% no total de denúncias feitas. Essa redução se acentuou mais ainda durante pandemia. Por exemplo, de janeiro a março, quando o coronavírus ainda não tinha registros no Estado, as Delegacias da Mulher registraram 1.245 boletins de ocorrência. Já de abril a maio, quando as medidas de isolamento foram reforçadas, este número caiu para 635.

Leia também: No Piauí, 53,7% da violência contra mulher é praticada por parceiro íntimo

Para efeito de comparação, de janeiro a março de 2019, o Piauí teve 1.355 casos de violência contra a mulher registrados em BO, e em abril e maio do mesmo ano, foram 842. A redução dos casos de violência doméstica em maio de 2020 comparado a maio de 2019 foi de 13,3%. Os casos de femincídio, outra estatística que entra no balanço, também deram uma aparente reduzida este ano em relação ao ano passado: em 2019, de janeiro a maio, o Piauí já havia contabilizado 13 ocorrências deste tipo de crime. Este ano, no mesmo período, foram sete, ou seja, os casos de feminicídio reduziram 46% no Piauí.


Foto: Reprodução

Pedidos de socorro por violência doméstica subiram

Em contrapartida à redução no número de BO’s, os pedidos de socorro feito por mulheres por meio do acionamento do botão do pânico no aplicativo Salve Maria subiram 79% durante a pandemia em relação ao mesmo período de 2019.

De março a maio do ano passado, o aplicativo registrou 147 pedidos de socorro de mulheres em situação de violência doméstica. De março a maio de 2020, período em que o isolamento social foi reforçado no Piauí, estes registros subiram para 263 acionamentos do botão do pânico. A média é de 87 mulheres pedindo socorro por serem vítimas de agressão por mês e de quase uma por dia.

Leia também: Violência contra a mulher no Piauí: denúncias sobem 60% em seis meses

Esse aumento dos pedidos de socorro por violência doméstica durante a pandemia puxou para cima as estatísticas da violência contra a mulher como um todo nos primeiros cinco meses do ano. É que de janeiro a maio, foram 341 acionamentos do botão do pânico no aplicativo Salve Maria em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram feitos 281 pedidos de socorro. O aumento foi de 21,35%.

O estudo da Secretaria de Segurança foi baseado na quantidade de registros de boletins de ocorrência e teve como fonte o Sistema de Boletins de Ocorrências (SisBO) e o Sistema Nacional de Estatísticas da Segurança Pública, o Sinesp.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree