-->

Recém-nascido encontrado em porta-malas foi morto por asfixia e tinha sinais de queimadura pelo corpo, diz polícia

14 Novembro 2019

Motorista que dirigia o carro morreu na UPA de Petrópolis, RJ, um dia antes do bebê ser encontrado. Polícia pediu exumação do corpo da mulher para esclarecer as relações
de parentesco entre ela e a criança. Exame de necropsia revelou sinais nítidos de parto natural. O recém-nascido encontrado em um porta-malas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, foi morto por asfixia e tinha sinais de queimadura de terceiro grau em diversas partes do corpo, segundo informou a Polícia Civil. De acordo com o delegado da 105ª Delegacia de Polícia (DP), Claudio Batista Teixeira, a criança nasceu e foi morta. As causas da morte foram reveladas com base no laudo do Instituto Médico Legal (IML). De acordo com a polícia, a criança era do sexo feminino, tinha 49 cm de comprimento e pesava 3 kg. A polícia afirmou que o bebê estava enrolado em um vestido azul marinho e foi encontrado com dois sacos plásticos na cabeça, junto com porção de palha e pedaços de carvão. O corpo do recém-nascido foi encontrado no domingo (10), um dia depois da motorista do carro ter morrido em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. O bebê foi achado pela companheira dela. Corpo de mulher foi exumado na tarde desta quarta em Petrópolis, no RJ - caso bebê Gladstone Lucas / Inter TV Na quarta-feira (13), a Polícia Civil exumou o corpo da mulher, que estava enterrado no Cemitério Municipal, para verificar as relações de parentesco com o recém-nascido. "Precisamos fechar a questão do exame da mulher para concluir sua relação com a criança e a tipificação correta", disse o delegado. De acordo com Claudio, o laudo de necropsia da mulher aponta que há sinais nítidos de um parto natural. Agora o delegado informou que será feito o exame de DNA para saber se a criança era filha dela. A polícia informou que tanto o carro quanto a casa onde a mulher morava também passaram por perícia. Mulher pediu ajuda Segundo a Polícia Civil, quando começou a se sentir mal e enquanto estava a caminho da UPA a mulher pediu a ajuda de um pastor. De acordo com o delegado, ele foi ouvido na delegacia, mas os detalhes do depoimento ainda não foram revelados. Já a Secretaria de Saúde do município informou que a mulher deu entrada na UPA no sábado (9) por volta de 12h15, com quadro de insuficiência respiratória aguda e edemas pulmonares. A unidade informou que ela foi atendida, medicada, mas não resistiu. Ela morreu às 13h30. As circunstâncias da morte da mulher e da criança continuam sendo investigadas. Veja outras notícias da região no G1 Região Serrana.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 2580 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree