-->

Candidata eliminada do Enem 2019 tem as notas validadas após correção de troca de nomes

22 Janeiro 2020

Rebecca Ferreira foi confundida com Rebeca Moura, dona do celular que tocou no segundo dia de provas, e chegou a mandar 150 e-mails para o Inep. Candidata é de
Nova Friburgo, no RJ. Candidata teve as notas computadas no sistema após correção de erro no Enem O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, entrou em contato por telefone com a candidata ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, Rebecca Ferreira, de 18 anos, enquanto ela estava ao vivo com a equipe da Inter TV no programa Estúdio i, da Globo News. Rebecca Ferreira teve as notas computadas no sistema, para alívio da família, após a correção de um erro da organização. A estudante havia sido eliminada do exame ao ser confundida com Rebeca Moura, dona de um aparelho celular que tocou no segundo dia de provas. A família chegou a enviar cerca de 150 e-mails para o Inep na tentativa de resolver a confusão. Isso porque uma nova regra na edição de 2019 afirma que qualquer som emitido por um aparelho eletrônico geraria eliminação na hora. Rebecca Ferreira recebeu a ligação do presidente do Inep e teve as notas do Enem validadas Reprodução/Inter TV A questão é que o som não tinha vindo do celular dela. Elas fizeram a prova na mesma sala, na Universidade Federal Fluminense (UFF), em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio. Ela e a mãe fizeram várias postagens nas redes sociais e conseguiram contato com a família da xará, que imediatamente ajudou. A mãe da Rebeca Moura, que é menor de idade, fez uma declaração de próprio punho reconhecendo que a filha foi retirada de sala porque o celular dela tocou durante a prova. Mas mesmo com os documentos em mãos, a família da estudante vítima da confusão encontrou muita dificuldade para que a organização das provas reconhecesse o erro. Rebecca Ferreira conta que foi eliminada do Enem 2019 porque o celular de outra Rebeca tocou durante a aplicação da prova Reprodução/Twitter Ana Cláudia Moura, mãe da Rebeca Moura, conta que entrou com uma ação na Justiça de Nova Friburgo para garantir que a nota seja revista. A preocupação com a rapidez na correção do erro é porque a estudante pretende usar o desempenho no Enem para concorrer a uma das 237,1 mil vagas disponíveis no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Quanto maior a nota, maiores as chances de conseguir uma vaga. Enem 2019: Inep diz que erro que afetou quase 6 mil notas já foi corrigido Sisu 2020: inscrições são abertas com prazo estendido; estudantes relataram lentidão em site O Sisu segue com o processo aberto até domingo (26) e agora a Rebecca já poderá participar do processo utilizando o desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio. Aluna tem Enem anulado após ser confundida com outra pessoa

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 11611 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree