-->

Livre da Covid-19, aldeia indígena em Maricá segue sistema rigoroso para se manter longe da doença

04 Julho 2020

Moradores da aldeia Mata Verde Bonita definiram quatro representantes mais jovens que estão autorizadas a sair da comunidade e somente em caso de necessidade. Aldeia Mata Verde Bonita, em
Maricá, no RJ Giovanna Pires/Inter TV Na contramão da realidade de muitas comunidades indígenas pelo Brasil, a Aldeia Mata Verde Bonita, em Maricá, na Região Metropolitana do Rio, segue sem registrar casos confirmados da Covid-19 até este sábado (4), segundo a Prefeitura. Para evitar casos de contaminação pelo novo coronavírus, a comunidade segue um sistema rigoroso de cuidados, criado pelos próprios moradores. Apenas quatro pessoas, os líderes mais jovens, estão autorizadas a sair da comunidade e somente em caso de necessidade. "Fizemos uma reunião com a comunidade toda desde o início da pandemia para decidir quais os cuidados a gente iria tomar, como a gente iria seguir para todo mundo se cuidar. Escolhemos quatro pessoas da aldeia, líderes mais jovens, para sair quando for preciso. Elas tomam todos os cuidados. Assim que a gente está se prevenindo. Temos recebido cesta básica da Prefeitura e algumas coisas a gente planta , então eles só saem para ir no banco, comprar carne ou remédio", explica a indígena Guarani da Aldeia Mata Verde Bonita, Luciana Parapoty, de 26 anos. Pessoas de fora da aldeia não estão autorizadas a visitar o local, para evitar o contágio. A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) criou uma plataforma para acompanhar os casos do novo coronavírus entre populações indígenas. Atualizado nesta sexta-feira (3), o levantamento mostra que 10.722 pessoas já foram contaminadas pela doença no país, o que representa 122 povos afetados. Dos casos confirmados, 420 pessoas morreram pela Covid-19. De acordo com a secretaria municipal de Saúde de Maricá, todos os indígenas da Mata Verde Bonita foram testados e nenhum deles apresentou resultado positivo para a doença, mas, ainda segundo o município, eles permanecem sendo monitorados diariamente pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde. Com cerca de 100 habitantes, a Mata Verde Bonita é uma das oito comunidades guaranis no estado do Rio, segundo a ONU, e tem uma área de proteção ambiental com mais de 90 hectares. De acordo com a Prefeitura de Maricá, a unidade referência para as aldeias indígenas, cuja equipe é direcionada aos cuidados ao povo indígena, é a Unidade de Saúde da Família São José II, em São José do Imbassaí. O trabalho é permanente e acompanha as duas tribos da aldeia. Veja outras notícias da região no G1 Região dos Lagos. Initial plugin text
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree