-->

Votação na Câmara vai decidir abertura de processo para investigar denúncias contra prefeito de Nova Friburgo, no RJ

21 Mai 2019

Advogado da cidade aponta que Renato Bravo causou prejuízo aos cofres públicos com a dispensa de licitações para contratos emergenciais. Câmara recebeu denúncia de improbidade administrativa contra o prefeito
Renato Bravo (PP) Divulgação/Ascom Friburgo A Câmara Municipal de Nova Friburgo, na Região Serrana, vai votar na tarde desta terça-feira (21) o pedido de abertura de uma Comissão Processante (CP) para investigar denúncia de improbidade administrativa contra o prefeito Renato Bravo (PP). Caso o pedido seja aceito, a CP pode resultar no impeachment e no afastamento do prefeito do cargo. Segundo o legislativo, a denúncia foi feita pelo advogado Deivison Ramos de Abreu. No documento, ele aponta "atos lesivos" à saúde do município e prejuízos ao erário (recursos financeiros públicos). O advogado também denuncia a dispensa de licitações e questiona o número de contratos emergenciais firmados pelo executivo. "Em 2018 tivemos uma verdadeira 'farra' de contratos que, somados, chegam ao valor de R$ 12.600 milhões; gastos em contratos sem licitação firmados pela Prefeitura de Nova Friburgo de acordo com dados do Portal da Transparência do município", diz trecho da denúncia enviado à Câmara. O documento protocolado pelo advogado tem 53 páginas e também relata problemas na área da saúde e questiona gastos divulgados pelo município com um pacotão de obras no valor de R$ 25,8 milhões. O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Nova Friburgo e aguarda um posicionamento sobre as denúncias feitas contra o prefeito. Veja outras notícias da região no G1 Região Serrana.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree