-->

DNIT divulga cronograma de interdições no gancho de Igapó para obras

20 Fevereiro 2020

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes iniciou nesta quinta-feira (20) a terceira etapa das construções. Dnit apresentou o cronograma de interdições e de execução das construções nesta quinta-feira (20),
e anunciou o início da terceira etapa da obra Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi As obras do Complexo Viário do Gancho de Igapó, na Zona Norte de Natal, devem ser concluídas em dois anos, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. O Denit apresentou o cronograma de interdições e de execução das construções nesta quinta-feira (20), e anunciou o início da terceira etapa da obra. O investimento total é de R$ 60 milhões. De acordo com o Departamento, nesta terceira fase, que deve durar um ano até a sua conclusão, será construído um viaduto sobre a BR-101 e a Avenida Tomaz Landim (BR-406). Para a execução do serviço, houve alteração no trânsito no local a partir desta quinta (20), porque a Tomaz Landim vai precisar ser bloqueada. Já nesta quinta-feira (20), as ruas Henrique Dias e Ponte nova passaram a ser de mão única, no sentido leva ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves. As ruas Vivaldo Pereira e Santa Luzia, por sua vez, ficam em mão única no sentido inverso. Para os automóveis que vão do aeroporto para a cidade de São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana, agora o acesso é pela Rua Criciúma, também em sentido único. O Dnit explica que a construção do viaduto principal vai começar no dia 5 de março próximo, uma quinta-feira. A partir daí, a Avenida Tomaz Landim só poderá ser usada para os veículos oficiais e o transporte coletivo. Quarta etapa Após a conclusão desse viaduto, será iniciada a quarta etapa do Complexo Viário. Trata-se da construção de um túnel em “Y”, que vai interligar a Avenida das Fronteiras com a RN-160 e a BR-101 Norte. Esta é a fase final da obra, que deve ser terminada em dois anos a partir de agora. O trabalho começou em junho de 2016, quando foram realizadas desapropriações, supressões vegetais, pavimentação e sinalização dos desvios de tráfego. A segunda etapa foi a de pavimentação de trechos de vias marginais, demolição de imóveis e remoção de entulhos, além do reposicionamento das redes das concessionárias prestadoras de serviços públicos.

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree