-->

MPF e governo do RN selam acordo para combater fraudes em auxílio aos trabalhadores da cultura

15 Setembro 2020

Profissionais do setor da cultura terão acesso a três parcelas de R$ 600 através da Lei Aldir Blanc. Sistema vai formar banco de dados para verificar requisitos. Lei Aldir
Blanc vai beneficiar trabalhadores da cultura no RN Divulgação O Ministério Público Federal firmou acordo de cooperação com o governo do Rio Grande do Norte para combater fraudes no pagamento da renda básica emergencial destinada aos trabalhadores da cultura através da Lei Aldir Blanc. O objetivo é o compartilhamento de bancos de dados para verificação dos requisitos exigidos para recebimento do auxílio. MPF e governo vão desenvolver sistema de informação, com inteligência artificial, específico para o cruzamento e análise de dados dos beneficiários. Integrarão o sistema as bases de dados da Fundação José Augusto (FJA), secretarias do Planejamento e Finanças, da Administração, da Tributação e da Administração Penitenciária, Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), além de Caern e Cosern. "A cooperação entre os órgãos e o emprego da inteligência artificial são aliados no combate a fraudes como as que foram identificadas no auxílio emergencial", explicou o procurador da República Fernando Rocha. Podem receber o benefício de três parcelas de R$ 600 os profissionais do setor da cultura que tiveram as atividades paralisadas durante a pandemia do novo coronavírus. O valor é o dobro para mulheres provedoras de família. É necessário ter mais de 18 anos e renda pessoal de até meio salário mínimo, ou renda familiar de até três salários. Profissionais que já receberam o auxílio emergencial não poderão acumular os benefícios.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree