-->

Pedreiro caminha três quilômetros para pegar ônibus após mudanças em linhas de Natal

16 Setembro 2020

Sem linha 30 perto de casa, na Zona Oeste, Alison Souza tem que caminhar cerca de 40 minutos para pegar um ônibus para o conjunto Pirangi, na Zona Sul
da capital. Alison de Souza caminha pelo menos 40 minutos para chegar à parada de ônibus em Natal Ayrton Freire/Inter TV Cabugi Às 6h20 desta quarta-feira (16), Alison de Souza, 23 anos, saiu de casa em Nova Cidade, na Zona Oeste de Natal, para ir ao trabalho no conjunto Pirangi, na Zona Sul. Para chegar à parada de ônibus, o pedreiro precisou percorrer mais de três quilômetros. É que a linha de transporte público que ele pegava foi uma das que tiveram o percurso encurtado, nesta semana, na capital. Sem dinheiro para pagar duas passagens para ir e duas para voltar, ele precisa caminhar por cerca de 40 minutos diariamente até o ponto de ônibus. O tempo ainda foi um pouco maior, nesta quarta, por causa das pausas no trajeto, para se proteger da chuva que caia no início da manhã. "Tem que se esconder debaixo de uma casa. Ontem mesmo peguei chuva", contou à Inter TV Cabugi, que acompanhou o percurso dele. O pedreiro usava a linha 30, que agora não passa mais perto da sua casa. "Num dia de sábado, o motorista disse que o ônibus não ia até lá mais", relatou. Mesmo após toda caminhada, Alison revelou que chegou a esperar até uma hora pelo transporte, no fim de semana. Pedreiro faz trajeto de três quilômetros, desde que houve mudança na linha 30, que ele usava para chegar ao trabalho Ayrton Freire/Inter TV Cabugi A mudança proposta pela STTU é que as linhas encurtadas funcionem como ônibus de bairro, indo até um ponto central onde há outras opções. Dali, as pessoas que precisam ir mais longe deveriam usar a integração do transporte público para pegar outro ônibus. A integração, no entanto, só funciona para quem tem o NatalCard. Alison não tem o cartão e diariamente faz pagamento em dinheiro. "Daria R$ 16 reais por dia e eu ganho R$ 50 de diária. Não dá. Tenho que pagar aluguel, fazer feira", afirma. Nesta quarta, Alison teve sorte. Demorou pouco tempo na parada. O ônibus da linha 52 passou em cinco minutos e tinha cadeira vazia. Depois da caminhada e do trajeto no transporte, ele chegou ao trabalho pouco após as 8h. No fim do dia, haverá outra caminhada. Alison chegando à parada de ônibus na marginal da BR-101, onde pegou o ônibus 52 para o Pirangi, em Natal Ayrton Freire/Inter TV Cabugi
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree