-->

Júri dos nove réus por morte de adolescente em Charqueadas é adiado e será realizado em três etapas

18 Novembro 2019

Datas ainda não foram definidas. Primeiro júri deve acontecer em janeiro, segundo o TJ. Os réus concordaram em permanecer presos até o julgamento. Um deles está em prisão domiciliar,
e os demais têm prisão preventiva. Ronei, morto a garrafadas em CharqueadasReprodução/Facebook O júri da morte de Ronei Faleiro Jr., que deveria acontecer nesta segunda-feira (18), em Charqueadas, a 60 km de Porto Alegre, foi adiado. De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o julgamento foi divido em três etapas a pedido da defesa, e o primeiro deve acontecer em janeiro. As datas ainda não foram definidas. Os nove réus concordaram em permanecer presos até o julgamento. Um deles está em prisão domiciliar, e os demais tiveram prisão preventiva decretada. A decisão foi informada pela juíza Greice Moreira Pinz, da 1ª Vara, responsável pelo caso, na manhã desta segunda, na sede da Associação dos Funcionários da Aços Finos Piratini (Afaço), onde ocorreria a sessão do Tribunal do Júri. Crimes Durante os três júris devem ser ouvidas, além das três vítimas e dos réus, 22 testemunhas convocadas até agora por acusadores e defensores. Na instrução do processo foram ouvidas quase 40 pessoas. Os réus responderão por homicídio qualificado (por meio cruel e com recurso que dificultou a defesa), associação criminosa e corrupção de menores. Além disso, são acusado por outras três tentativas de homicídio qualificado, já que agrediram, também, o pai da vítima, Ronei Wilson Faleiro, e um casal de amigos. Leia abaixo o posicionamento das defesas dos nove réus. Há ainda um décimo adulto acusado de envolvimento nos crimes. Ele foi denunciado depois dos demais e seu caso é apurado em outro processo, que deve ir a júri depois de respostas a recursos. De acordo com o Ministério Público, há também a participação de sete menores de idade no crime. Quatro deles receberam medida socioeducativa de internação por três anos, prazo máximo estabelecido no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os outros três foram absolvidos. Contrapontos A advogada Lorena Pires Garcia, que representa Alisson Cavalheiro e Cristian Sampaio, afirma que seus colegas e ela irão "buscar o esclarecimento dos fatos como realmente se sucederam, visando auxiliar os jurados na individualização das condutas. Podemos afirmar que temos elementos suficientes para trazer ao plenário a veracidade da ausência de autoria dos meus clientes, porque justiça é saber punir e a quem punir e confiamos no bom senso de todos que tiverem essa dura missão de julgar esse fato." O advogado Diander Rocha, responsável pela defesa de Peterson Patric Silveira Oliveira, afirma que, "após analisar o processo cuidadosamente, manifesta seu compromisso com a sessão de julgamento que se inicia nesta segunda-feira. Externa também o respeito absoluto pela dor da família com esta perda lamentável. Serão levados aos jurados todos os elementos de provas para se fazer uma análise séria, a fim de um julgamento justo, com a certeza da distribuição da justiça nas condições do processo". O réu Vinícios Adonai Carvalho da Silva será representado pelos advogados Lucas Mees Schacht e Celomar Cardoso. Schacht afirmou ao G1 que "ele acabou sendo envolvido na situação porque estava entre os demais. A única agressão que possa ter envolvimento dele é em relação ao amigo da vítima. Não teve nenhuma relação com o Ronei ou com o Ronei Júnior. Não há nexo entre a conduta dele com a morte do Ronei Júnior". O advogado de Jhonata Paulino da Silva Hammes, Fabiano Cerveira, diz que "durante o julgamento será demonstrado aos jurados que Jhonata não participou das condutas imputadas pelo Ministério Público, buscando-se, ao final, a absolvição”. Geovani Silva de Souza, Leonardo Macedo Cunha, Matheus Simão Alves e Volnei Pereira de Araújo são representados por defensores públicos. Procurada pela reportagem, a Defensoria Pública afirmou que não se pronunciará antes do júri e que irá comentar apenas após a decisão. Relembre o caso Na madrugada de sábado (1º de agosto), Ronei Júnior estava em uma festa, no Clube Tiradentes. Testemunhas relataram que, durante a festa, um amigo da vítima havia sido ameaçado de morte pelo grupo autodenominado Bonde da Aba Reta. Na saída da festa, ele ofereceu carona para o amigo e a namorada. Porém, os três foram abordados pelos agressores. Ronei Júnior foi agredido por chutes, socos e golpeado com os cacos de vidro de garrafas. O pai do jovem, que chegou ao local para buscá-lo, também acabou agredido. Ele socorreu e levou o filho até o Hospital de Charqueadas. O adolescente chegou a ser encaminhado para o Hospital Santo Antônio, em Porto Alegre, mas não sobreviveu a um traumatismo craniano.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 886 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree