-->

Casal de Montenegro em viagem pela Colômbia relata rotina durante quarentena: 'Estamos fechados na kombi'

31 Março 2020

Manoela e Rodrigo percorrem a América Latina numa kombi, desde maio do ano passado. Casal está confinado dentro do veículo já que a ordem do país colombiano é não
sair de casa. Rodrigo e Manoela estão na estrada desde maio do ano passado Arquivo pessoal A jornalista Manoela Petry e o técnico em edificações Rodrigo Arnhold, ambos com 26 anos, saíram de Montenegro, na Região Metropolitana de Porto Alegre, em maio do ano passado, rumo a uma aventura de kombi pela América Latina. Atualmente na Colômbia, o casal relatou ao G1 como está a rotina durante a quarentena no país devido a pandemia de coronavírus. "Estamos presos em Medellín. Chegamos aqui há 20 dias, um pouco antes de decretarem a quarentena geral nacional. Desde então, não se pode sair às ruas, o comércio está fechado e tudo mais", diz Manoela. "Nós, como não pode ser diferente, estamos fechados na kombi desde então". O casal conta que, apesar da kombi ser a casa deles há quase um ano, não poder sair de dentro do veículo é um desafio. "Estar dentro da kombi o tempo todo, sem poder ficar de pé, por exemplo, é uma dificuldade". Além disso, não existem outros locais para onde ir. "Não temos opções. Campings, hostels e tudo mais está fechado. Ninguém pode nos receber", conta Manoela. Início difícil Eles estão estacionados em uma praça, localizada em um bairro residencial da cidade. "Temos acesso a supermercado e estamos conseguindo manter o abastecimento normal", diz a jornalista. Mas nem sempre foi assim. Quando chegaram à cidade, foram hostilizados pela comunidade local. "Nos xingaram, ameaçando chamar a migração e a polícia, dizendo que a gente trouxe o vírus pro país. Que somos estrangeiros e, por isso, os culpados pelo que está passando", conta. "O que não entendem é que estamos todos (até alguns europeus) na América Latina há, no mínimo, um ano percorrendo os países vizinhos da Colômbia." A hostilidade passou, mas eles ainda sentem medo. "Temos medo de a qualquer momento alguém chegar nos ameaçando de novo. Escutamos alguém conversando perto da kombi e já pensamos o pior, que estão falando da gente, que não querem a gente aqui", diz Manoela. O casal na porta de "casa", em Medellín, na Colômbia Arquivo pessoal Viagem reprogramada A quarentena na Colômbia está programada para ir até o dia 12 de abril, mas segundo o casal é esperado que o governo prorrogue até o dia 30. Com isso, os planos da viagem precisaram mudar. "Iríamos pra Venezuela. Depois deveríamos descer todo o Brasil pelo litoral até chegar em casa. Agora, como temos mais 2 meses aqui, já estamos gastando o dinheiro que usaríamos pra ir pra Venezuela e litoral. Então, devemos voltar pelo mesmo caminho que fizemos pra chegar aqui: Equador, Peru, Chile, Argentina, casa", conta Manoela. Apesar da quarentena no país terminar, possivelmente, no próximo dia 30, o governo colombiano já anunciou que as fronteiras seguirão fechadas até o dia 31 de maio. "Estamos em contato com a Embaixada para tentar alternativas de voltar pro Brasil antes do dia 30 de maio, quando está prevista a reabertura das fronteiras, mas a Embaixada agora trabalha na retirada de brasileiros por avião. Como temos a kombi, essa medida não serve pra gente". Apesar das dificuldades, eles relataram estar bem. "Agora contamos com o apoio dos vizinhos, nos dão água, perguntam se precisamos de algo, vêm conversar e mostram mais empatia". Eles ainda tentam encarar a situação da melhor forma possível. "Óbvio, não esperávamos estar trancados em uma pandemia quando saímos. Mas faz parte da experiência e dessa aventura que é viver na estrada. Estamos tentando levar tudo de uma maneira mais tranquila e leve", finaliza Manoela. Enquanto a quarentena ainda não era uma realidade na Colômbia Arquivo pessoal
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree