-->

Bebê arrancado da barriga da mãe morta em loteamento tem alta em RO

18 Novembro 2019

Recém-nascido estava internado no Hospital de Base, em Porto Velho. Justiça informou que o menino foi levado ao Lar do Bebê. Bebê arrancado com uma faca da barriga
da mãe estava internado no Hospital de Base, em Porto Velho. Diêgo Holanda/G1 O bebê que foi arrancado com uma faca da barriga da mãe teve alta do Hospital de Base, em Porto Velho, onde estava internado desde o mês passado. A liberação médica ocorreu no fim da última semana, mas foi confirmada pela assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) nesta segunda-feira (18). O menino é filho de Fabiana Pires Batista, então de 23 anos, assassinada dentro de um loteamento da capital. Gustavo Henrique, de 7 anos, também filho da vítima, foi morto na mesma região. A Semusa informou que o recém-nascido ficou sob responsabilidade do Conselho Tutelar. Ao G1, a assessoria do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) disse que o recém-nascido foi levado ao abrigo Lar do Bebê, em Porto Velho, e foi registrado. Informou que, no momento, a Justiça avalia se o menino ficará com o pai ou com uma tia. Fabiana e Gustavo foram mortos em um loteamento de Porto Velho. Reprodução/Arquivo pessoal No mês passado, a juíza da Vara da Infância e da Juventude, Sandra Merenda, revelou que de fato havia possibilidade do menino ser levado ao Lar do Bebê assim que tivesse alta. O pai do recém-nascido chegou a demonstrar interesse em ficar com ele. "O pai está providenciando o reconhecimento da paternidade. Nós vamos averiguar a conveniência dessa criança ir para esse pai, ir para a família paterna ou materna e vamos estabelecer quem tem melhores condições de permanecer com essa criança. Ele tem interesse na guarda da criança, mas ele precisa primeiramente fazer o reconhecimento da paternidade", explicou Sandra à época. Grupo de suspeitos A Polícia Civil prendeu este mês o 6° suspeito de estar envolvido no caso. Trata-se Mario Barros do Nascimento, de 18 anos. Ele é filho de Cátia Barros Rabelo, mulher suspeita de tentar ficar com o bebê e fingir estar grávida de um garimpeiro. Além de retirar a criança com uma faca, o grupo matou a gestante e Gustavo Henrique. Mario Barros do Nascimento foi preso suspeito de participação no crime. WhatsApp/Reprodução "O Mário relata que apenas viu a criança na casa da mãe dele, e que teria saído só para pedir roupas. Ele afirmou que se negou a comunicar a polícia sobre a criança no imóvel da mãe dele, mas nega que tenha planejado o crime ou estado presente no local onde o bebê foi retirado do ventre da mãe", disse a delegada no dia da prisão do suspeito. Segundo a delegada Leisaloma Carvalho, que conduz o caso, Mário Barros nega ter participado dos homicídios junto com sua mãe e os outros cinco envolvidos. Outras cinco pessoas seguem detidas pelo duplo homicídio e o sequestro do bebê: a irmã de Fabiana, três adolescentes e Cátia Barros Rabelo. Cátia queria o bebê Segundo as investigações, o crime aconteceu no Loteamento Tropical, Zona Sul de Porto Velho. A suspeita de 13 anos, irmã da vítima, teria matado Fabiana e retirado a criança do útero usando uma faca. Na ocasião, a menina ainda teria empurrado o sobrinho, de 7 anos, dentro de um lago. Ele morreu afogado. A mulher suspeita de tentar ficar com o bebê arrancado da barriga de Fabiana foi presa na tarde de 23 de outubro. Cátia Barros Rabelo, de 34 anos, foi ouvida por cerca de 5 horas na Delegacia de Homicídios da capital antes de ser detida preventivamente. Cátia Barros, de 34 anos, foi presa por ser suspeita de participar do assassinato e pegar bebê de Fabiana. Jheniffer Núbia/G1 Conforme a delegada, Cátia teria não apenas participado do crime, como repassado aos filhos e aos outros envolvidos os "instrumentos" para execução do plano. Disse ainda que, assim como os menores, ela não demonstrou arrependimento. Até a última atualização desta reportagem, o advogado de Cátia não havia sido localizado. A mulher permanece presa em Porto Velho. Initial plugin text
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree