-->

Delegacias passam a registrar apenas crimes graves durante a quarentena do coronavírus em RO

27 Março 2020

Portaria publicada na quinta-feira (26) lista crimes que devem ser registrados presencialmente. Ocorrências de menor gravidades devem ser registradas online. Delegacias físicas não vão registrar crimes de lesão corporal
e calúnia, por exemplo Diêgo Holanda/G1 As delegacias da Polícia Civil de Rondônia passaram a registrar, presencialmente, apenas os crimes considerados mais graves. A medida foi adotada para impedir o avanço do novo coronavírus. Casos considerados menos graves precisam ser registrados online, na Delegacia Virtual. A restrição no atendimento ao público vai pelo menos até 10 de abril. Em uma semana, casos de coronavírus sobem 500% em Rondônia Em portaria da Delegacia Geral, publicada na quinta-feira (26) no Diário Oficial do Estado (Diof), são listados os crimes que serão atendidos presencialmente nas unidades policiais. Entre eles estão homicídio e feminicídio, estupro, violência doméstica e contra crianças e adolescentes, sequestro e cárcere privado, roubo e furto de veículos. Também continuarão sendo atendidos, presencisalmente, os casos em que as provas possam ser perdidas e exijam imediata intervenção policial, além de prisões em flagrante, remoção de cadáver, perícias médico-legais e outros casos a critério do delegado. Segundo a Polícia Civil, os demais crimes, como furtos simples, perda de documentos, calúnia, lesão corporal leve e estelionato devem ser registrados pela própria vítima/envolvido na Delegacia Virtual. No site, a própria pessoa inclui os dados pessoais, objetos envolvidos no caso e faz a descrição de como ocorreu o crime ou situação. Posteriormente, as ocorrências são distribuídas às delegacias competentes para investigação. Segundo a Polícia Civil, é importante que a população registre os crimes, mesmo de forma virtual, para que não haja subnotificação das ocorrências durante a pandemia. Um contato de WhatsApp foi disponibilizado para quem tiver dificuldades com o registro online das ocorrências. O número é (69) 9 8439-0102. A portaria também regulamenta o teletrabalho (trabalho em casa) dos servidores do grupo de risco, antecipação de férias dos servidores sem condições de trabalhar por sintomas de COVID-19 e medidas de segurança dos servidores ao fazer atendimentos presenciais.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree