-->

Mãe procura cachorro que ficou ao lado do corpo do filho após atropelamento em rodovia de RO

31 Março 2020

Acidente aconteceu no dia 17 de março, na BR-319, em Porto Velho. O cachorro desapareceu momentos depois do acidente. Natanael e Branco eram muito apegados, segundo a Rosa Maria
de Santana, mãe do jovem atropelado. Arquivo Pessoal/Rosa Maria de Santana Desde o dia 17 de março, quando um atropelamento na BR-319, em Porto Velho, tirou a vida de Natanael Santana da Silva, a dona de casa Rosa Maria de Santana segue numa busca pelo cachorro que ficou ao lado do corpo do filho após o acidente na rodovia. Ao G1, a auxiliar de limpeza Rosa Maria, de 41 anos, contou que morava com o filho único e que ele era muito apegado a Branco, o cachorro de estimação. "Ele sempre passeava na rua com o cachorro. O nome dele era Branco. Meu filho era muito apegado e a gente também", disse. Com a morte do rapaz, que tinha 23 anos, a mãe espera encontrar o cachorro já que ele esteve até o último momento com o jovem. Após o atropelamento, Branco ficou na beira da rodovia até a retirada do corpo. No entanto, depois da noite do acidente, ela não teve mais informações do paradeiro do animal sobre. Ao ouvir que um sitiante havia ficado com o cachorro, Rosa foi até os sítios da localidade, mas ninguém disse ter visto o animal. Agora ela pede ajudar para encontrar Branco. Quem tiver informações sobre a localização pode ligar para o número (69) 9 9327-8247. Acidente Cachorro na BR-319 após dono ser atropelado em Rondônia PRF/Divulgação De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o jovem caminhava pela rodovia quando foi atropelado por um veículo não identificado. "Eu só sei que bateram nele, saiu arrastando e não prestou socorro", lamenta a mãe. O carro seguia no sentido Manaus Porto Velho. "Eu não sei porque ele foi pra essa BR. Uma vizinha me falou que ele pediu água pro cachorro e falou que ia pro lado de Humaitá", revela Rosa, que mora na Zona Leste da capital. O condutor não prestou socorro e fugiu. O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Delitos no Trânsito. De acordo com o delegado Cristiano Lopes, um inquérito foi instaurado com objetivo de identificar o atropelador. A investigação está na fase de identificar testemunhas que possam ter visto o acidente ou o carro com características de envolvimento em atropelamento naquela data, já que no local não há comércios ou câmeras de segurança. O corpo do jovem foi arrastado por vários metros na rodovia. Branco desapareceu após o dia do atropelamento na BR-319. Arquivo pessoal/Rosa Maria de Santana
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree