-->

Governo cria novo benefício social de R$ 100 por mês para famílias de baixa renda em Roraima

04 Julho 2020

Programa “Cesta da Família” deve atender 17 mil famílias no estado durante o período de três meses. Benefício é de responsabilidade da Secretaria de Estado do Trabalho e Bem-Estar
Social (Setrabes). Estado tem também o "Renda Cidadã". Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo Inaê Brandão/G1 RR/Arquivo O governo do estado criou mais um benefício social para famílias de baixa renda em Roraima. O "Cesta da Família" deve pagar R$ 100 mensais durante três meses e vai ser coordenado pela Secretaria de Estado do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes). A criação do auxílio foi publicada no Diário Oficial do Estado de quinta-feira (2). Além deste, o estado criou, há três meses, o "Renda Cidadã", com distribuição mensal de R$ 200 por mês. O programa prevê a contemplação inicial de 17 mil famílias no estado, de acordo com a disponibilidade orçamentária e financeira da Setrabes. Apenas um membro da família poderá receber o benefício. Conforme a portaria, os beneficiários serão selecionados por meio de um levantamento feito em redes municipais de assistência social e de organizações que atendam pessoas em situação de vulnerabilidade social. Para receber o auxílio, o candidato deve: Ser maior de 18 anos de idade, salvo no caso de mães adolescentes; Não ter emprego formal; Possuir renda familiar per capita de até meio salário mínimo; Ter sido pré-selecionado por uma das diversas instituições e órgãos de assistência social. O pagamento será feito por meio de um cartão, e poderá ser utilizado exclusivamente com alimentos, produtos de higiene e limpeza. Em nota, o governo informou neste sábado (4) que "os cartões do auxílio Cesta da Família já foram solicitados e a previsão de recebimento e distribuição é ainda neste mês de julho." Em abril, o governo divulgou a criação do “Renda Cidadã”, programa social que destinaria R$ 200 mensais a 10 mil famílias em situação de extrema pobreza no estado. O benefício, que deveria ter sido liberado ainda em abril, mas foi foi pago apenas no dia 1º de julho, três meses depois, e atendeu 571 famílias das 1.152 pessoas aptas a receber.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree