-->

Operação que investiga suspeita de fraude na Celesc apreende carros de luxo e R$ 180 mil na casa de empresário

05 Dezembro 2019

Notas frias foram emitidas sob pretexto de corrigir estragos causados por temporais. Empresários e servidores públicos são investigados. Polícia Civil faz operação em SC e no PR contra
suspeitos de praticar desvios na Celesc Ao menos quatro carros de luxo foram apreendidos nesta quinta-feira (5) na operação policial que investiga a suspeita de desvios de dinheiro das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). Segundo a polícia, seis empresários e quatro servidores públicos, que estão aposentados, são investigados e podem responder por peculato, associação criminosa e fraude em licitação. Ninguém foi preso. A ação policial em seis cidades catarinenses e também do Parará cumpriu 21 mandados de busca e apreensão e sequestrou 49 veículos. Além de carros, caminhões, dinheiro, documentos e equipamentos eletrônicos. Na casa de um dos empresários investigados a polícia encontrou R$ 180 mil em dinheiro. Segundo a Polícia Civil, a investigação que iniciou há seis anos apontou que notas fiscais foram emitidas para prestar serviços em 2010 para, supostamente, consertar estragos causados por vendavais e tempestades, principalmente nas regionais de Florianópolis, Joinville, Rio do Sul e Criciúma. No entanto, muitos dos trabalhos não foram realizados. Segundo a polícia, o desvio ultrapassa os R$ 3,3 milhões. A própria Celesc constatou irregularidades em uma sindicância interna e acionou a polícia. “Emitiam ordens de serviços para arrumar supostamente de avarias em decorrência de eventos climáticos, mas era só pretexto para conseguir liberação de dinheiro e, consequentemente a emissão da nota fiscal. A empresa recebia e o dinheiro voltava para a diretoria. Isso foi feito em todo período de 2010”, informou o delegado Marcus Fraile, da área de combate à corrupção. Carros de luxo apreendidos durante operação contra fraude na Celesc Paulo Mueller/ NSC TV Até as 12h30, quatro carros tinham sido apreendidos e levados ao pátio da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em São José, na Grande Florianópolis. A polícia não detalhou de quem são os veículos. Alguns devem ficar com as empresas envolvidas que serão fiéis depositárias e não poderão usá-los. A polícia não descarta que possa haver desdobramento da operação, visto que ainda deve analisar os materiais aprendidos nesta quinta-feira. "Sempre surgem novos fatos, ramificações e não se descarte essa possibilidade de uma nova fase da operação", afirmou o diretor da Deic, delegado Luiz Fuentes. Por meio de nota, a Celesc informou que está colaborando com as autoridades e que aguarda a continuidade das investigações. O nome da operação "Zero Grau" é uma alusão à grande quantidade de notas fiscais frias emitidas. Ao menos quatro carros de luxo foram apreendidos em operação que investiga desvio na Celesc Paulo Mueller/NSC TV Veja outras notícias do estado no G1 SC
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree