-->

Mancha no mar da Baía Norte em Florianópolis não era esgoto, dizem prefeitura e Casan

13 Dezembro 2019

Autoridades garantiram que contraste de cores em mancha na Beira-mar Norte e na continental ocorreu por diferença de densidade da água do mar e pluvial. Nesta sexta, mancha havia
desaparecido. Após chuva, mancha aparece no mar da Baía Norte, em Florianópolis A Prefeitura de Florianópolis e a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) garantiram que a mancha que pôde ser vista na Beira-mar Norte e na Beira-mar Continental na tarde de quinta-feira (13) não era decorrente de esgoto. Ainda conforme a Casan, o contraste das cores observado por moradores ocorreu pela diferença da densidade da água do mar e da água pluvial. Na manhã desta sexta-feira (13) a mancha já havia se dissipado. “O que ocorreu foi um excesso de chuva em um curto espaço de tempo e com muita correnteza, superficial ao longo das vias como também na rede de drenagem e carreou toda essa sujeira da tubulação e da pista para o mar. Por isso a cor escura, mas era água de chuva, não teve nenhum problema de esgotamento sanitário", explicou Fabio Ritzmann, superintendente de Saneamento e Habitação de Florianópolis. "A diferença de cor entre o mar e a mancha é porque o mar estava revolto, estava mais amarelada e mais próxima da costa então houve um contraste maior”, completa o secretário. Segundo a Casan, além da agitação do mar, que levanta sedimentos e deixa a água em tom mais amarelado, a grande quantidade de água doce das galerias que chegou ao mar tem densidade menor que a água salgada, o que acentuou a diferença de cor. A chuva forte lavou as galerias de drenagem que escoam água da chuva na região central e também no Bairro Estreito, no Continente. Como fazia cerca de duas semanas que não chovia forte, havia muita sujeira acumulada, ainda conforme a Casan. Questionado pelo G1 sobre a possibilidade de haver ligações clandestinas na rede pluvial que desembocou na Beira-mar com a forte chuva de quinta, o secretário informou que a prefeitura costuma realizar fiscalizações da região. "A fiscalização é um procedimento contínuo. Eventualmente trabalhamos por demanda, mas não foi o caso. A ideia de que aquela mancha era esgoto não tem fundamento, pelo simples ou grande volume, de água", disse o secretário. Orientação As autoridades que trabalham com saneamento orientam que sempre que chover forte seja evitado tomar banho de mar e em rios por pelo menos 24 horas, pois a sujeira concentrada nas ruas acaba chegando nesses locais. Mancha no mar da Baía Norte, em Florianópolis, na quinta-feira (12) Reprodução/CBN Veja outras notícias do estado no G1 SC

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 712 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree