-->

Dólar ou moeda local: O que devo levar?

17 Fevereiro 2020

Vai viajar para fora do país? Benefícios de cada opção variam de acordo com o destino. Conheça as vantagens de cada alternativa e saiba qual é a melhor para
a sua viagem Planejar uma viagem internacional não é somente escolher os passeios e criar roteiros que envolvam museus, restaurantes e outros eventos. É preciso colocar na ponta do lápis os gastos com passagem, hospedagem, alimentação e definir qual a melhor forma de levar dinheiro para a viagem. Calcular taxas, fazer conversões e entender as oscilações do câmbio para saber se vale mais a pena investir em dólar ou em moeda local são algumas questões que causam dor de cabeça em muita gente, pois os prós e os contras de cada opção podem variar de acordo com o destino e a relação entre o real e as demais moedas. Se você está com viagem marcada para fora do Brasil, preste atenção nestas dicas e escolha a melhor forma de levar dinheiro antes de embarcar. Qual o destino? Vantagens variam de acordo com o país visitado Turcambio Unsplash Se você for viajar para países de moeda forte, como os da Zona do Euro, Inglaterra - e, obviamente, os Estados Unidos, é consenso de que é muito mais vantajoso fazer o câmbio no Brasil. Isso porque, fora do Brasil, a tendência é o real se desvalorizar ainda mais diante do dólar, do euro e da libra. Em países de "moeda fraca" ou moedas não conversíveis, como são chamadas no mercado as moedas que não possuem livre circulação fora do país de origem, é preciso considerar a taxa de câmbio de compra e venda, que pode aumentar consideravelmente o valor do câmbio no Brasil. Por exemplo: grosso modo, são poucas as casas de câmbio brasileiras que negociam o peso colombiano, por exemplo, assim, algumas operadoras podem cobrar até 20% a mais do que se pagaria caso comprasse dólares no Brasil e deixasse para comprar pesos na Colômbia. Fazer dois câmbios, ou seja, comprar dólar no Brasil e trocar por moeda local quando chegar ao destino é vantajoso também para quem viaja para o México e países da América Central, da África Subsariana e do Sudeste Asiático. Embora o dólar americano tenha excelente aceitação em muitos países do hemisfério norte, em alguns países, seja por questões políticas, seja por questões geográficas, é preferível utilizar o euro como alternativa à moeda local. É o caso de Cuba, onde, por problemas políticos que atravessam décadas, o dólar é taxado em cerca de 10% na conversão para o CUC. Assim, se você for conhecer a famosa ilha caribenha, é indicado que compre euros ainda no Brasil e troque os euros por CUCs quando chegar lá. Trocar reais por euros antes de embarcar também é indicado para quem vai para países do norte da África, como Egito, Líbia, Argélia, Tunísia e Marrocos, e para países europeus fora da zona do euro, por exemplo, Suíça, Noruega, República Tcheca e Polônia. América do Sul: Saiba como fazer a melhor escolha em viagens aos países vizinhos Turcambio Unsplash Nos últimos anos, os brasileiros têm descoberto as delícias de viajar para dentro do próprio continente e conhecer culturas tão ricas e diversas, apesar de próximas geograficamente. Com isso, Argentina, Uruguai, Chile, Peru e Colômbia têm se tornado destinos bastante procurados por turistas do Brasil. Nas cidades de fronteira, como Chuy e Puerto Iguazú, o real é amplamente aceito, assim como o dólar, porém, a moeda brasileira é menos valorizada na conversão. Em algumas capitais, Montevidéu e Buenos Aires, por exemplo, o dólar circula do mesmo modo que o peso (uruguaio e argentino, respectivamente), porém, o uso da moeda americana exige que o turista esteja sempre atento às conversões para não ter problemas quanto ao troco - que, muito provavelmente, será dado em moeda local. Por isso, é mais prático sair do Brasil levando pesos. Em viagens para o Peru, Colômbia, Bolívia, Chile e Equador, países cujas moedas podem ter taxas maiores no câmbio brasileiro, é indicado trocar reais por dólares e, quando necessário, trocar os dólares por moeda local durante a viagem. Algumas dicas de especialistas Uma conta bastante simples pode ser feita com base nas cotações das últimas semanas antes da data marcada para o embarque. Calcule, por exemplo: quanto você compraria da moeda local do seu destino com mil reais no Brasil; quanto esses mil reais comprariam de moeda local no país de destino; quantos dólares você compraria no Brasil com mil reais; e, finalizando, quantos dólares você compraria com o equivalente a mil reais na moeda local do destino; Se a diferença entre dólar e moeda local por muito pequena, opte por trocar reais pela moeda local ainda no Brasil, assim você evita perder tempo de diversão durante a viagem; Para viagens de carro pelos países da América do Sul, é importante calcular o valor dos pedágios até o destino e levar moeda local para pagá-los; Diante de um cenário de oscilação cambial e desvalorização do real frente a algumas moedas, a dica dos especialistas para quem for usar dólar ou outra moeda forte, como o euro, a dica é dividir a compra por semanas (ou meses, caso haja tempo para isso), pois isso faz com que você acabe negociando com base em uma média de cotação. Em caso de dúvida, leve dólares; Para não ter prejuízo por causa do câmbio desfavorável, não deixe para trocar o dinheiro na última hora; Tenha sempre um cartão de débito e de crédito válido para possíveis emergências. Seja por dólar ou por outra moeda, troque seu dinheiro somente em corretoras de câmbio de confiança - no Brasil, certifique-se de que a empresa tem autorização do Banco Central do Brasil para operar. Ter um bom planejamento financeiro traz mais segurança antes, durante e depois da viagem, e com alguns cuidados você voltará para casa somente com boas lembranças. Acompanhe as dicas dos especialistas da Turcambio acompanhando o canal da empresa aqui no G1.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree