-->

Em SC, maternidades vetam presença de acompanhante durante o parto em meio à pandemia de coronavírus

31 Março 2020

A medida é para restringir a circulação de pessoas na unidade de saúde e consequentemente possíveis contágios. Pais são proibidos de acompanhar partos em hospital do Vale do Itajaí Durante
a pandemia do coronavírus, o Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, no Vale, e outras unidades de saúde têm tomado medidas para evitar a aglomeração de pessoas, e, assim, diminuir riscos entre os recém-nascidos e suas mães. Entre as novas regras da maternidade de Itajaí, está a proibição do acesso ao centro obstétrico de pais ou de qualquer outro acompanhante na hora do parto, e também estão restringindo as visitas à maternidade. A presença do acompanhante no momento do parto é garantida por lei criada em 2005, e por esse motivo a decisão do hospital tem sido alvo de críticas. No entanto, segundo a advogada especialista em saúde pública Elídia Tridapalli, em situações de pandemia o que está previsto em outras leis relacionadas não se aplica, isso porque se considera que nesse momento o direito coletivo à saúde vale mais do que o direito individual de cada pessoa. Por isso, que essas regras são válidas neste momento. Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, somente os pais, que os recém-nascidos não possuam necessidade de estimulação ao seio materno, será permitida a visita presencial de um dos pais, das 18h30 às 19h. No caso dos recém-nascidos com necessidade de estimulação ao seio materno, as entradas das mães se darão das 13h30 às 18h. Durante a permanência na unidade neonatal, os pais deverão utilizar máscaras. Em nota, o hospital explicou que as medidas foram necessárias porque dentro da maternidade e da UTI neonatal não há espaço disponível para criar uma distância entre as pessoas que é recomendada pelo Ministério da Saúde. Medidas restritivas atingem UTI neonatal de maternidades de cidades de Santa Catarina Paulo Goeth/ Governo de SC/Divulgação Em todo o estado, outras maternidades também adotaram regras mais rígidas voltada para esses pacientes como: Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, no Oeste: na UTI neonatal só entra a mãe; Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis: no momento do parto entra acompanhantes até 60 anos, sem doença crônica, se sem doença respiratória, mas estão proibidas a presença de doula; Hospital Infantil de Joinville, no Norte catarinense, é permitida a entrada da mãe que amamenta na UTI neonatal e as outras visitas passam por avaliação médica; Hospital Santa Isabel, em Blumenau, no Vale: só pai entra no momento do parto. Veja mais notícias do estado no G1 SC
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree