-->

Consumo de pescados e crustáceos é liberado em estados atingidos por manchas, diz representante do Ministério da Pesca em Sergipe

11 Novembro 2019

A análise dos pescados e crustáceos foi feita pelo Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ, por solicitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Consumo de
pescados e crustáceos é liberado em estados atingidos por manchas O volume de óleo encontrado nas mais de 400 localidades do país diminuiu nos últimos 10 dias, e os pescados e mariscos de estados do Nordeste, atingidos pela substância, podem ser consumidos. Além disso, uma medida provisória deve entrar em vigor, ainda em novembro, para que pescadores artesanais recebam um auxilio emergencial. As afirmações foram divulgadas durante uma coletiva de imprensa da Marinha do Brasil, realizada na tarde desta segunda-feira (11), em Aracaju. Durante o evento, que reuniu representantes da Defesa Civil do governo federal, Ministério da Saúde e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi divulgado o resultado da análise da água em estados no Nordeste, apresentado, nesta segunda-feira, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que atestou o consumo de peixes e crustáceos dos estados da Bahia, do Ceará, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte. Em Sergipe, amostras de água também foram coletadas e o resultado deve ser divulgado nos próximos dias. “O Ministério da Agricultura, desde o acontecimento, reforçou seus protocolos nos empreendimentos que tem o selo de inspeção federal. E dentro desse reforço, foram coletadas amostras extras, e dentro dessas amostras retiradas aqui no Nordeste brasileiro. A primeira leva de respostas saiu hoje dizendo que até o momento não há nenhum risco para consumo humano dos pescados no Nordeste brasileiro. Esses protocolos ainda continuarão. Foram coletadas amostras aqui em Sergipe, que foram envidas para laboratório, o que se tem até então é que não há nenhum nível de contaminação, que se prejudique o consumo humano, que todos os pescados que passam pelo processo de inspeção federal estão aptos ao consumo”, explicou o superintendente do Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento em Sergipe, Aroldo Araújo Filho. A análise dos pescados e crustáceos foi feita pelo Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ, por solicitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ainda de acordo com o surpreendente, os ministérios da Pesca, Cidadania e Economia elaboram uma Medida Provisória para que pescadores artesanais e marisqueiras recebam um auxílio emergencial. Já que eles não são contemplados pelo auxílio-defeso. Manchas encontradas na praia de Pirambu Andema/SE Sobre o avanço das manchas no estado, a Marinha informou que a maioria das praias de Sergipe apresentam poucos vestígios de óleo, e que o mesmo ocorre em outros estados do Nordeste. “Existe, nos últimos dez dias, uma redução da quantidade de incidência. Tem estados que há mais de 10 dias não recebem poluição, mas como não é possível definir a origem e o volume descarregado nós precisamos estar atentos e ficarmos mobilizados para recolher o que chega a praia”, explicou o almirante da Marinha, Alexandre Rabello de Faria, chefe do Estado Maior do Comando de Operações Navais. Situação em Sergipe Todas as 17 praias sergipanas foram afetadas e também apresentaram reaparecimento das manchas após serem limpas. O estado decretou situação de emergência no dia 5 de outubro, reconhecida pelo governo federal. Até a semana passada, mais de 1.200 toneladas de resíduos do óleo haviam sido recolhidos. O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Depec/SEIT), encaminhou o Plano Detalhado de Resposta à Secretaria Nacional de Defesa Civil solicitando R$22 milhões para restabelecer a costa sergipana. O governo liberou R$ 2,5 mi. Aves migratórias contaminadas com substância oleosa são encontradas no litoral de Sergipe Governo de Sergipe/Divulgação Na quinta-feira (7), o Governo de Sergipe informou que aves migratórias do Hemisfério Norte que utilizam a Ilha da Sogra, no município de Estância (SE), como rota para alimentação e reprodução, foram atingidas pela substância oleosa. Análise da água em Aracaju Professores da Universidade Federal de Sergipe (UFS) realizaram, na manhã desta terça-feira (5), uma coleta de água no Rio Vaza Barris, em Aracaju. O trabalho faz parte da etapa inicial de coletas para análise da qualidade da água, dos sedimentos e da fauna dos estuários sergipanos, que foram atingidos por manchas de óleo. Carta à sociedade No dia 25 de outubro, em Aracaju, uma carta à sociedade brasileira relatando o impacto do derramamento de óleo no litoral nordestino. O documento foi elaborado por representantes de mais de 80 comunidades, que dependem diretamente ou não com a pesca. Ampliação do pagamento do defeso O presidente da República em exercício, Davi Alcolumbre, assinou um decreto da tarde da quinta-feira (24), durante visita a Aracaju, que determina ampliação do pagamento do auxílio defeso, destinado aos pescadores das localidades afetadas pelas manchas de óleo no litoral sergipano. O anúncio foi realizado durante uma reunião com o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), e representantes dos órgãos que atuam no combate ao avanço do óleo. Initial plugin text

Em breve novidade aqui!!!

Outras Categorias

Quem Somos

Usuário(s) Online

Temos 1120 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree