-->

Faixa de pedestres que termina dentro de bueiro é risco para deficientes em Araguaína

07 Dezembro 2019

Principal ponto turístico da cidade não tem rampas e prefeitura tem escadaria gigante. Defensoria fez audiência pública para debater a falta de acessibilidade na cidade. Audiência Pública é realizada
em Araguaína para discutir a falta de acessibilidade Quando se fala de acessibilidade não é difícil encontrar problemas nas ruas de Araguaína, norte do Tocantins. Em um ponto da cidade a calçada de uma escola é tão pequena que quase não tem espaço para os postes de energia. Na Via Lago, um dos principais cartões postais, não existem rampas. No centro, uma faixa de pedestres termina literalmente dentro de um bueiro. "A cidade de Araguaína ainda é muito precária na questão de acessibilidade. Nós enfrentamos diversos problemas, nós pessoas com deficiência. As lojas não são acessíveis, muitas delas não tem se quer uma rampa de acesso", lamentou Fábio Silva, vice-presidente da Associação de Pessoas com Deficiência de Araguaína. Faixa de pedestres terminadentro de bueiro no centro de Araguaína Reprodução/TV Anhanguera Essa falta de acessibilidade não está apenas nas calçadas, mas também em alguns prédios públicos, como na própria prefeitura. A escada é enorme. Para um cadeirante, por exemplo, fica impossível subir. O professor José Cleudes da Silva tem deficiência nas pernas e sobe a escadaria com muito custo. "Se torna difícil pra a gente ter esse acesso, ter essa liberdade para ir e voltar sem depender de suporte ou alguém para movimentar a gente", lamentou. Para tentar encontrar uma solução para esses problemas, a Defensoria Pública propôs uma audiência na Câmara de Vereadores de Araguaína nesta semana. "Debater todos os pontos que podem melhorar na cidade de Araguaína em relação à acessibilidade e depois debater quais as possibilidades legislativas que poderiam ser alteradas para tornar uma cidade mais inclusiva", comentou o defensor Pablo Chaer. Além de pensar o que é preciso para melhorar, segundo o defensor, é preciso trabalhar a acessibilidade nas novas edificações. "Infelizmente não há fiscalização sobre esse ponto específico da acessibilidade. Inclusive, citamos algumas obras que são novas e não tem acessibilidade, parece que não teve fiscalização", disse. Outro lado A Prefeitura de Araguaína informou que implantou um programa para reestruturar os prédios do município para oferecer mais acessibilidade. Informou ainda que a Avenida Via Lago também vai passar por reestruturação. Deficiente enfrenta dificuldade para entrar na Prefeitura de Araguaína Reprodução/TV Anhanguera Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree