-->

Vereadores abrem CPI para apurar poluição no lago de Palmas e possível responsabilidade da BRK Ambiental

13 Fevereiro 2020

Manchas verdes vêm aparecendo no lago de Palmas, na região sul da cidade. Polícia Civil está investigando o caso e diz que problema seria causado por esgoto não tratado.
Vereadores no plenário da Câmara de Municipal de Palmas durante votação Aline Batista/Câmara de Palmas Os vereadores de Palmas decidiram, nesta quinta-feira (13), abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a poluição no lago de Palmas e seus afluentes. O problema vem sendo registrado na região sul da cidade desde o início do ano e, conforme apurado pela Polícia Civil, estaria relacionado ao derramamento de esgoto não tratado nas águas. Conforme a Câmara Municipal, a comissão também vai apurar as "possíveis responsabilidades da empresa BRK Ambiental no episódio". A concessionária, inclusive, foi proibida pela Justiça de derramar esgoto sem tratamento na região do córrego Machado e Ribeirão Taquarussu Grande, que desaguam no lago de Palmas. A BRK Ambiental esclarece que não há relação entre as algas encontradas no Ribeirão Taquarussu e o esgoto tratado pela concessionária e que está à disposição para esclarecimentos. (Veja a nota completa abaixo) É nesta região que manchas verdes vêm aparecendo e poluindo a água, além de causarem mau cheiro. O problema tem incomodado moradores de vários bairros, inclusive do Bertaville e o condomínio Mirante do Lago, e usuários da praia do Caju. O requerimento de CPI foi feito pelo vereador Diogo Fernandes (PSD) e que contou com a assinatura de oito parlamentares. A comissão ainda será montada e depois será escolhido um relator. "Faremos o convite a diversos órgãos e a representantes da concessionária para que prestem esclarecimentos sobre o que está acontecendo com nosso Lago", explicou o vereador. Polícia Civil verifia poluição em trecho do lago de Palmas Divulgação/SSP Entenda Durante investigação, a Polícia Civil constatou que um trecho do lago de Palmas está poluído. Os policiais foram até o local após denúncias. Segundo o delegado de repressão a crimes contra o meio ambiente Marcelo Santos Falcão Queiroz, a suspeita é que a poluição esteja relacionada ao despejo de esgoto e outros fatores. A equipe da delegacia especializada foi até o trecho do lago, acompanhada de um perito criminal. Durante a ação, eles constataram que a cor esverdeada da água está relacionada com a grande quantidade de algas (cianobactérias), no trecho entre Bertaville e o condomínio Mirante do Lago. Segundo Queiroz, a exposição a essas algas pode causar irritação na pele e olhos. Além disso, seu consumo pode provocar distúrbios gastrointestinais e intoxicação. A recomendação é que, pelo menos no trecho investigado, a população deve evitar o banho e consumo da água. Nesta quarta-feira (12) equipes da Prefeitura de Palmas começaram a percorrer as margens do Ribeirão Taquarussu Grande e também do Córrego Machado tanto na zona rural quanto na área urbana da capital. Profissionais da Fundação do Meio Ambiente e da Guarda Metropolitana Ambiental estão realizando a operação. O objetivo é identificar se alguma das propriedades que ficam no entorno da bacia está realizando alguma atividade que pode prejudicar a qualidade da água. O que diz a BRK Ambiental A BRK Ambiental esclarece que não há relação entre as algas encontradas no Ribeirão Taquarussu e o esgoto tratado pela concessionária. A presença de algas pode ser observada inclusive em pontos anteriores ao lançamento do esgoto tratado, o que evidencia que o fenômeno da floração de algas não é causado ou intensificado por este lançamento. A presença de algas ocorre pelo acúmulo de nutrientes provenientes de fontes diversas como poluição urbana, fertilizantes e matéria orgânica em decomposição cabendo aos órgãos de fiscalização identificar as contribuições irregulares. A concessionária está à disposição para prestar os esclarecimentos necessários para a autoridade policial. Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree