Moro diz que Congresso pode mudar decisão sobre prisão em segunda instância

08 Novembro 2019
disse que defende prisão em segunda instância.

"A decisão da maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) para aguardar o trânsito em julgado deve ser respeitada". Essa foi a declaração dada pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, nesta sexta-feira (8), por meio de nota oficial.

Moro apontou ainda que sempre defendeu a execução da condenação criminal em segunda instância e continuará defendendo. Ao mesmo tempo, segundo a nota, a insconstitucionalidade da segunda instância, agora vigente, pode ser mudada pelo Congresso.

Leia mais:

"O Congresso pode, de todo modo, alterar a Constituição ou a lei para permitir novamente a execução em segunda instância, como, aliás, reconhecido no voto do próprio ministro (Dias) Toffoli. Afinal, juízes interpretam a lei e congressistas fazem a lei, cada um em sua competência".

A decisão tomada pelo Supremo nesta quinta-feira (8) vai beneficiar quase 5 mil réus que estavam presos, um deles é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outro é o ex-ministro José Dirceu.

Leia a nota na íntegra

Sempre defendi a execução da condenação criminal em segunda instância e continuarei defendendo. A decisão da maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) para aguardar o trânsito em julgado deve ser respeitada. O Congresso pode, de todo modo, alterar a Constituição ou a lei para permitir novamente a execução em segunda instância, como, aliás, foi reconhecido no voto do próprio Ministro Dias Toffoli. Afinal, juízes interpretam a lei e congressistas fazem a lei, cada um em sua competência.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree