Lava Jato: MPF denuncia ex-senador por corrupção passiva

13 Fevereiro 2020
O ex-senador Paulo Bauer Waldemir Barreto/Agência Senado

A Operação Lava Jato em São Paulo apresentou denúncia à Justiça contra dez pessoas suspeitas de integrarem esquema para favorecer os interesses do grupo Hypermarcas no Senado Federal, entre 2013 e 2015. Entre eles está o empresário Paulo Bauer, senador pelo PSDB, teria recebido indevidamente R$ 11,8 mi com a ajuda de um assessor parlamentar.

Segundo o Ministério Público Federal, autor da denúncia, esse valor foi transferido em parcelas por meio de contratos fraudulentos firmados com as empresas empresas da área de informática, advocacia e pesquisa e análise, entre outras. 

Além de Bauer e seu assessor, 8 pessoas são acusadas na denúncia apresentada pelo MPF na terça-feira (11). 

Leia mais: Em conversa por viva voz com Paulo Bauer, Aécio admite que pediu ajuda a Joesley

A ação penal é resultado das investigações feitas a partir do acordo de colaboração firmado com Nelson José de Mello, ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas. Ele apresentou provas que corroboram seus depoimentos, incluindo cópias de contratos fictícios, sem a devida contraprestação de serviços, e uma linha do tempo que mostra a correlação entre os pagamentos feitos para Paulo Bauer e a tramitação de proposta de emenda constitucional de sua autoria no Senado. A PEC 115/2011, arquivada em 2018, alterava o regime tributário sobre medicamentos de uso humano.

O R7 não conseguiu localizar Paulo Bauer na noite desta quarta para que pudesse comentar a denúncia. No início de fevereiro, ele se desligou do cargo que ocupava na Casa Civil, do governo federal.


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree