Rombo nas contas deve superar R$ 350 bi no ano, diz Tesouro

31 Março 2020

350 bi" />

Rombo nas contas públicas deve superar R$ 350 bi Reuters

O Tesouro Nacional informou nesta segunda-feira (30) que considera que o déficit primário do governo central pode chegar a R$ 350 bilhões em 2020, o equivalente a cerca de 4,5% do PIB (Produto Interno Bruto).

O valor consta do sumário do relatório do resultado fiscal do governo central e considera o aumento de despesas e queda na arrecadação para os próximos meses, como consequência do avanço do novo coronavírus e das medidas que precisarão ser implementadas pelo governo.

O valor é expressivo se considerado o rombo nas contas públicas do ano passado, que ficou em R$ 95 bilhões. A meta para 2020 era de déficit de R$ 124 bilhões, que o governo agora prevê superar de forma expressiva.

Prazo para saque imediato de até R$ 998 do FGTS acaba amanhã

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, citou que as diversas ações que o governo está traçando para combater a pandemia terão impacto. Entre elas está o auxílio a trabalhadores informais com valores de R$ 600 a R$ 1.200, o aumento na despesa com seguro-desemprego no socorro que será feito aos trabalhadores formais e os gastos adicionais do Ministério da Saúde, entre outros.

Além disso, o governo espera queda na receita nos próximos meses. Uma das medidas que torna isso certo foi a permissão para que empresas que estão no regime de tributação do Simples Nacional paguem seus impostos referentes a março, abril e maio apenas no segundo semestre. 

"O impacto maior será nos próximos três meses. A gente possivelmente vai ter uma sazonalidade extra que vai impactar fortemente o déficit primário", diz Mansueto Almeida.

Fevereiro

As contas do governo central registraram um déficit primário de R$ 25,8 bilhões em fevereiro, segundo balanço da Secretaria do Tesouro Nacional divulgado nesta segunda. Trata-se do pior desempenho para o mês desde 2017 na análise que engloba o desempenho das contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree