Alunos que voltam às aulas em escola de Londres recebem apoio emocional

14 Setembro 2020

Professores foram treinados para acolher os estudantes após o isolamento imposto por causa da pandemia de Covid-19. Aluna higieniza suas mãos ao chegar à Academia Harris em Londres,
na Inglaterra, nesta quinta-feira (3) Matthew Childs/ Reuters Os alunos do ensino primário que voltaram nesta quinta-feira (3) à Academia Harris de Londres, na Inglaterra, vão se sentar em filas, lavarão as mãos com frequência e terão amparo de professores que foram treinados para dar apoio emocional após o isolamento. Para muitas crianças que começaram a voltar às escolas nesta semana é a primeira vez que retomam aulas em tempo integral desde que a disseminação do coronavírus forçou o fechamento dos centros de ensino em março. Alunos voltam às aulas na França e na Bélgica Para evitar aglomerações, as escolas estão escalonando os intervalos, mantendo os alunos em grupos menores, controlando quando percorrem áreas comunais e exigindo o fornecimento de garrafas de água e estojos de lápis para evitar o compartilhamento. Alunos fazem fila no primeiro dia de aula na Academia Harris, em Londres, na Inglaterra, nesta quinta-feira (3) Matthew Childs/ Reuters Sam French, diretora da Academia Harris, disse que os funcionários ficaram contentes de voltar e que, embora existam muitos desafios, querem que a escola pareça tão normal quanto antes. "Fizemos nosso melhor para manter [os desafios] em nosso nível, então, quando as crianças voltaram hoje, tanto quanto possível estavam voltando à escola que deixaram em março", disse ela à Reuters. As crianças foram recebidas por um professor que distribuiu álcool em gel quando chegaram e se depararam com um arco de balões na entrada da escola. Momento de avaliar a defasagem Embora as escolas tenham mantido contato com os alunos durante o isolamento e proporcionado atividades frequentes, agora os professores terão que usar o primeiro período para avaliar quantas crianças estão defasadas e quantas se adiantaram no aprendizado. "Estas primeiras semanas iniciais são só para descobrir onde estão as lacunas, descobrir quais são os pontos fortes e depois avançar para que até o meio período de outubro tenhamos todos voltado para onde precisamos estar e possamos continuar com o ano", disse French. O governo do primeiro-ministro, Boris Johnson, está sendo pressionado para fazer com que as escolas permaneçam abertas depois do longo intervalo e na esteira de um fiasco a respeito dos resultados estimados de provas que afetaram a ida de alguns estudantes para a universidade neste ano. Veja vídeos com as principais notícias internacionais:
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree