'Enem seriado' levará em conta notas de cada ano do ensino médio na seleção de alunos para universidades

15 Setembro 2020

Alunos farão novo Saeb a cada ano. No fim do ensino médio, serão somados os desempenhos dos últimos três anos, para compor a nota final a ser usada no
processo seletivo. Caderno de provas do Enem 2019 - 1º dia Ana Carolina Moreno/G1 O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) deu mais detalhes, nesta terça-feira (15), do "Enem seriado" (Exame Nacional do Ensino Médio). Em maio, o órgão já havia afirmado que seria mais uma forma de o estudante ingressar no ensino superior. "Além do Enem [tradicional], teremos o Enem seriado. O aluno vai poder fazer a prova do Saeb [Sistema de Avaliação da Educação Básica] na escola e concorrer a vagas de ensino superior no Brasil inteiro", afirmou Alexandre Lopes, presidente do Inep, durante coletiva de imprensa. LEIA MAIS: Desde 2013, ensino médio brasileiro não atinge nível esperado de qualidade no Ideb Brasil atinge outra vez meta nas séries iniciais do ensino fundamental do Ideb, mas ainda falha nos anos finais Novo Saeb O "Enem seriado" será possível após a reformulação do Saeb. Atualmente, a prova é aplicada a cada dois anos, no 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental, e no 3º ano do ensino médio. Os alunos não recebem boletins individuais de desempenho - os resultados são calculados em conjunto, para as escolas e redes de ensino. Na nova versão, a avaliação será anual, e alunos de todas as etapas escolares participarão do exame. No fim do ensino médio, cada aluno terá seu desempenho calculado com base nas notas do Saeb dos últimos três anos. A partir da pontuação final, ele chegará a uma nota que poderá ser usada no processo seletivo de universidades do país inteiro. Ou seja: o desempenho do jovem que estiver no 1º ano do ensino médio em 2021 será somado ao de 2022 e 2023, para que ele concorra a uma vaga de ensino superior em 2024. Prouni, Fies e Sisu Segundo o Inep, as notas do "Enem seriado" servirão para o Prouni (Programa Universidade para Todos), que distribui bolsas de estudo parciais e integrais em universidades particulares; e para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), programa que financia mensalidades de instituições privadas. Será possível também participar do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e concorrer a vagas no ensino público. No entanto, isso dependerá da adesão de universidades estaduais e federais ao "Enem seriado". Assista a vídeos de Educação do G1:
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree