Análise: mistura de despreparo e estupidez abateu avião lotado no Irã

11 Janeiro 2020
Phantom F-4 iraniano, semelhante ao da foto, foi abatido por fogo amigo em 2010 stringer/08.09.2004/EFE

Agosto de 2010

Um caça iraniano Phantom F-4 sobrevoou por engano uma zona proibida de seu próprio país sobre as instalações nucleares de Bushehr, na costa do Golfo Pérsico.

A aproximação do caça soou um alarme na central de operações da Guarda Revolucionária do país, que interpretou a presença como inimiga.

A bateria antiaérea disparou fogo amigo e abateu o caça conterrâneo.

Antes do impacto, os pilotos iranianos ejetaram e saíram vivos do incidente.

Mesma sorte não tiveram as 176 pessoas a bordo do Boeing 737-800 da  ucraniana UIA, igualmente derrubado por engano por militares iranianos nesta semana.

Ucranianos prestam homenagem às vítimas da tragédia
Ucranianos prestam homenagem às vítimas da tragédia Valentyn Ogirenko/Reuters - 11.01.2020

Responsabilidade e precaução, muitas vezes, nos impedem de afirmar o óbvio. Sobretudo quando se trata de um acidente aeronáutico que faz vítimas inocentes.

Pelas circunstâncias técnicas analisadas, ainda nas primeiras horas depois da queda, ficou clara a alta probabilidade de a tragédia ter sido causada por fatores externos, e não por falhas técnica ou humana a bordo do Boeing 737-800.

“Um erro imperdoável”, classificou o presidente iraniano Hassan Rouhani, no tuíte abaixo, ao se desculpar publicamente pelas mortes.


Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 11073 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree