Separatistas catalães tomam posse como parlamentares europeus

13 Janeiro 2020
Separatistas catalães assumem cargo de parlamentares Vincent Kessler/Reuters - 13.1.2020

Os líderes separatistas catalães Carles Puigdemont e Antoni Comin chegaram ao Parlamento Europeu para assumir suas cadeiras na segunda-feira (13), prometendo colocar o movimento de independência na agenda da Europa, dias depois que a Espanha reiterou seu pedido de prisão.

"Este é um dia histórico para nós", disse Puigdemont a repórteres do lado de fora do Parlamento na cidade francesa de Estrasburgo, ladeada por apoiadores.

"Estamos aqui para lembrar às pessoas que a crise catalã não é uma questão interna, é uma questão européia."

Os dois políticos, que vivem em um exílio autoimposto na Bélgica, são alvo da Justiça da Espanha por seu papel em desafiar os tribunais espanhóis a realizar um referendo em 2017 sobre a independência da região e a breve declaração de secessão que se seguiu.

Puigdemont e Comin foram eleitos parlamentares europeus em maio, mas não puderam retornar à Espanha para prestar juramentos e obter credenciais pelo receio de serem presos.

No entanto, seu status mudou no mês passado, quando o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu que outro líder separatista Oriol Junqueras, também eleito deputado em maio, tinha direito à imunidade.

Junqueras, que permaneceu na Espanha, foi condenado a 13 anos de prisão em outubro por seu papel na tentativa de separação da Catalunha em 2017.

Depois que a Suprema Corte da Espanha decidiu na semana passada que a condenação o impedia de imunidade como deputado, o Parlamento Europeu na sexta-feira revogou seu mandato.

Puigdemont pediu que Junqueras fosse autorizado a exercer o mandato que lhe foi dado pelos eleitores.

"Se a União Européia fosse realmente uma união de direitos e liberdades, Oriol Junqueras estaria aqui hoje", afirmou.

A Suprema Corte da Espanha pediu na sexta-feira que o Parlamento Europeu retire sua imunidade a Puigdemont e Comin, reiterando que os dois devem ser entregues às autoridades espanholas com base em seus mandados de prisão europeus.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree