Cuba receberá cruzeiro britânico com 5 casos de coronavírus

16 Março 2020
Wikimedia Commons

O cruzeiro britânico MS Braemar, que permaneceu ancorado ao longo do litoral das Bahamas com mais de 1.000 pessoas e cinco casos de Covid-19 a bordo, por fim atracará em Cuba para que todos a bordo possam ser levados ao Reino Unido de avião, anunciou nesta segunda-feira o Ministério das Relações Exteriores do país caribenho.

Leia mais: Veja como a América Latina está lidando com o coronavírus

"Diante da urgência da situação e o risco para a vida das pessoas doentes, o governo cubano decidiu permitir o atracamento desta embarcação e adotará as medidas sanitárias estabelecidas para receber todos os cidadãos a bordo", disse o ministério cubano em comunicado.

Após o desembarque, cuja data, hora e local não foram divulgados, haverá o "retorno seguro e imediato destes viajantes ao Reino Unido em voos fretados", acrescenta a nota.

A autorização para o atracamento foi feita após uma negociação entre Cuba e Reino Unido. As autoridades britânicas fizeram um pedido às do país caribenho no último dia 13, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores cubano.

"Cuba tem estado historicamente disposta a cooperar diante de qualquer necessidade de saúde que exista no mundo", explicou Alberto González, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, em entrevista coletiva.

Dentro do Braemar há 682 passageiros, na maioria turistas italianos, colombianos, australianos, canadenses, irlandeses, britânicos, holandeses, noruegueses, suecos e japoneses. O número de membros da tripulação é de 381.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree