Coronavírus: Netanyahu manda que israelenses não saiam de casa

19 Março 2020
O surto de coronavírus deixou este mercado em Jerusalém quase deserto Ronen Zvulun / Reuters - 18.3.2020

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou medidas para apertar o cerco contro o surto de coronavírus no país. A principal delas é uma ordem para que a população não saia às ruas a partir desta quinta-feira (19). A polícia será responsável pela vigilância.

"Sob essas novas ordens vocês, cidadãos de Israel, devem permanecer em suas casas. Não é mais um pedido, não é mais uma recomendação, é uma obrigação, que será devidamente imposta pelas autoridades", disse Netanyahu em um pronunciamento pela televisão.

Ainda não é uma quarentena

Segundo a imprensa israelense, a medida não chega a ser uma quarentena total, porque o governo vai permitir que os israelenses saiam para comprar comidas e remédios. Trabalhadores de algumas funções essenciais também serão liberados,

Netanyahu havia afirmado na véspera que poderia criar um toque de recolher nacional, dando poder à polícia para multar e prender quem estivesse nas ruas, como forma de pressionar o público a seguir os pedidos de ficar em casa.

Até esta quinta-feira, o ministério da Saúde de Israel afirmou que havia 573 casos de contaminação pelo coronavírus no país. Destes, 47 são de palestinos que vivem na Cisjordânia.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree