Braço direito de Ghosn na Nissan começa a ser julgado no Japão

15 Setembro 2020
Greg Kelly foi preso em novembro de 2018 Kiyoshi Ota/Reuters

O ex-executivo da Nissan Motors Greg Kelly, braço direito do ex-presidente do conselho da montadora Carlos Ghosn, começou a ser julgado nesta terça-feira (15) por um tribunal em Tóquio, no Japão.

Ele é acusado de ajudar Ghosn a ocultar das autoridades japonesas remunerações de US$ 86 milhões (R$ 455 milhões, na cotação atual) entre 2010 e 2018.

Kelly, de 64 anos, declarou-se inocente das acusações. Segundo a emissora de TV japonesa NHK, o ex-executivo disse que foi questionado pelo então chefe sobre a remuneração e consultou advogados internos da empresa para orientar Ghosn sobre o que era permitido pela lei ou não.

Greg Kelly foi preso em novembro de 2018 e foi transferido para prisão domiciliar cerca de um mês depois, mediante pagamento de fiança. 

Em situação semelhante estava Carlos Ghosn, quando fugiu para o Líbano — onde possui cidadania — em dezembro do ano passado.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree