Ministro pede que Congresso mantenha veto sobre bagagens aéreas

06 Setembro 2019

BRASÍLIA - (Atualizada às 11h35) - O ministro da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas, afirmou nesta sexta-feira que é fundamental que o Congresso mantenha o veto

do presidente Jair Bolsonaro em relação à proibição da cobrança de franquia de bagagem. Em cerimônia alusiva à assinatura dos contratos de concessão da 5ª rodada de leilões de aeroportos da Infraero, no Palácio do Planalto, o ministro enfatizou ainda que o governo está empenhado para ter o maior programa de infraestrutura. "Vai dar certo. Este ano foi melhor, e ano que vem vai ser mais ainda", disse.

Tarcisio afirmou que o governo está "na direção correta" e, ao apelar para que parlamentares mantenham o veto do presidente na questão das bagagens, disse que o presidente teve "coragem" para o bem do mercado da aviação.

A franquia de bagagem em voos comerciais foi tema bastante discutido entre os deputados na sessão do Congresso Nacional que debateu vetos presidenciais no fim de agosto. Em junho, o presidente vetou o restabelecimento do direito de o passageiro despachar gratuitamente uma bagagem de até 23 kg nas aeronaves a partir de 31 assentos. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) havia recomendado o veto.

Tarcisio disse ainda que o objetivo da sua pasta é "transformar a infraestrutura do Brasil". O ministro disse ainda que assinar os contratos das concessões de aeroportos no "dia do segundo aniversário de Bolsonaro e na semana da Independência do Brasil" era bastante simbólico. Mais cedo, apoiadores do presidente chegaram a cantar "parabéns para você" na porta do Alvorada por conta de um ano da facada que ele levou ainda na campanha eleitoral.

Relação com a PGR

O ministro disse também que a conciliação entre o desenvolvimento de projetos de infraestrutura e a preservação do meio-ambiente não depende de quem ocupa a cadeira de procurador-geral da República. "Acho que qualquer que seja o PGR ele tem que ter capacidade de dialogar, capacidade de liderar a equipe do MPF, tem que ter capacidade de montar bons times nas câmaras", disse Tarcisio.

Antes de indicar o novo PGR, Bolsonaro vinha alertando para os riscos de que um "xiita na área ambiental" prejudicasse as obras de infraestrutura. Ontem, Bolsonaro confirmou a indicação de Augusto Aras para o posto.

Aras e Tarcísio já trataram de projetos de infraestrutura no passado. O primeiro como representante do MPF; o atual ministro como integrante do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). "Houve, naquela oportunidade, uma abertura de espaço para diálogo, onde nos foi oportunizado mostrar tudo o que tinha sido pensado, esclarecer dúvidas e houve uma postura da 3ª Câmara (do MPF) naquela oportunidade muito interessante", afirmou o ministro.


Em breve novidade aqui!!!

K2_LEAVE_YOUR_COMMENT

Usuário(s) Online

Temos 950 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree