"Não serve para nada", diz cientista sobre testes rápidos para Covid-19

30 Junho 2020
Foto: Bruno Concha/Fotos Públicas
De acordo com cientista, testes rápidos para a Covid-19 devem ser evitados

A bióloga e microbiologista Natalia Pasternak foi incisiva

ao afirmar que os testes sorológicos rápidos para Covid-19, popularmente vendidos em farmácias, "não servem para nada" e "podem gerar resultados falsos positivos ou negativos" para a doença.

"O teste não vai dizer se você tem o vírus, ele só vai dizer se você teve vírus no passado, gerando anticorpos. Mesmo assim, isso só vai acontecer se ele for bom o suficiente e, em geral, a qualidade deles é duvidosa", afirmou a pesquisadora, destacando que a sensibilidade dos testes "é baixa e pode gerar muitos erros".

A cientista, que foi entrevistada nesta segunda-feira pelo programa Roda Viva, reforçou ainda que o teste mais confiável é do tipo RTPCR, que é pouco disponível no Brasil - contexto considerado.

"É grave a gente não ter os testes de RTPCR disponíveis principalmente para profissionais de saúde para fazer diagnóstico, porque esse é o teste que faz o diagnóstico. (...) Isso foi uma escolha do 'desgoverno federal', que não comprou os insumos e não distribuiu para os estados e municípios. Isso deveria ter sido feito pelo Ministério da Saúde. Então temos uma subnotificação, porque não se testa o suficiente", criticou Pasternak.

Natalia Pasternak é fundadora e primeira presidenta do Instituto Questão de Ciência, doutora em microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP) e pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree