Pessoas que roncam têm 3 vezes mais chance de morrer de Covid-19

15 Setembro 2020
Thinkstock/Getty Images
Pessoas obesas, homens e mulheres na menopausa são algumas das acometidas pela apneia


Uma pessoa que sofre de apneia

obstrutiva tem até três vezes mais chances de falecer devido à Covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus, caso seja internada. É o que apontam pesquisadores da Universidade de Warwick, na Inglaterra.



Além do ronco, a apneia obstrutiva do sono também pode causar engasgos. Isto porque os músculos da garganta dilatam e, com isto, podem bloquear as vias aéreas enquanto o paciente dorme.

A respiração se torna intermitente, com intervalos de 20 minutos, e o ato de roncar acontece quando a pessoa “acorda”.

Os cientistas da universidade revisaram 18 outros artigos sobre apneia para chegar à conclusão de que há mais impactos caso pacientes sejam contamiandos pela Covid-19.

Segundo Michelle Miller, uma das autoras, a doença do novo coronavírus é capaz de inflamar as vias da bradicinina, que regula a pressão arterial, e eleva o estresse oxidativo.

Esses fenômenos também acontecem com pessoas que roncam. Logo, as chances de letalidade aumentam.

A apneia do sono tende a ser comum em pessoas com obesidade, que ingerem álcool em grande quantidade e com 40 anos ou mais. Homens e mulheres que passam pela menopausa também são acometidos pela apneia.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree