-->

Assessor confirma que ouviu Trump perguntar sobre investigação de Biden

16 Novembro 2019

Declaração de funcionário reforça testemunho do embaixador dos EUA em exercício na Ucrânia, Bill Taylor, e pode complicar presidente americano. Trump discursa na Casa Branca em Washington Reuters/Tom Brenner Um
assessor da embaixada dos Estados Unidos na Ucrânia confirmou, nesta sexta-feira (15), que escutou Donald Trump perguntar a um embaixador sobre "as investigações". A declaração de David Holmes foi dada durante audiência sobre inquérito do impeachment. As informações são da CNN. O depoimento de Holmes reforçou o testemunho de Bill Taylor, o principal diplomata dos EUA na Ucrânia. Na última quarta-feira (13), Taylor revelou que um de seus assessores estava com o embaixador americano na União Europeia, Gordon Sondland, enquanto ele conversava por telefone com Trump . Trump ataca ex-embaixadora na Ucrânia durante depoimento dela A ligação teria acontecido após uma reunião com os ucranianos em 26 de julho — um dia depois do controverso telefonema entre Trump e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, no qual o americano teria feito pressão para abrir as investigações de Joe Biden, o que motivou o pedido de impeachment. Segundo Holmes, ele conseguiu ouvir Trump perguntar sobre a investigação, ao que Sondland teria respondido que Zelensky faria 'qualquer coisa' que o presidente pedisse. Holmes explicou que foi possível ouvir a ligação porque 'a voz do presidente era muito alta e reconhecível". O próprio Sondland vai depor durante as audiências públicas na próxima semana. David Holmes, funcionário da embaixada dos EUA na Ucrânia, chega para depôr a portas fechadas em processo de Trump Reuters/Yara Nardi Impeachment O foco do inquérito de impeachment é um telefonema em 25 de julho, no qual Trump pediu ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, eleito em maio, para abrir investigações sobre Joe Biden e seu filho, Hunter, que trabalhou para uma empresa ucraniana. Biden é um dos pré-candidatos e poderá disputar a eleição presidencial de 2020 nos EUA pelo Partido Democrata. Uma comissão investiga se Trump abusou de seu poder retendo US$ 391 milhões em ajuda de segurança dos EUA à Ucrânia como forma de pressão, condicionando sua liberação à colaboração na investigação por ele solicitada. O dinheiro, aprovado pelo Congresso dos EUA para ajudar um aliado dos EUA a combater os separatistas apoiados pela Rússia na parte oriental do país, foi posteriormente fornecido à Ucrânia. Após inquérito, o processo vai a votação na Câmara e, se aprovado, a julgamento no Senado. Trump só perde o cargo se ao menos dois terços dos senadores votarem a favor de sua cassação.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree