-->

Encontro no Xingu: Raoni e filha de Chico Mendes lançam aliança contra Bolsonaro

16 Janeiro 2020
AFP
Cacique Raoni liderou encontrou à beira do Xingu


Uma aliança entre povos da floresta contra Bolsonaro foi anunciada durante a

última quarta-feira (16), no terceiro dia do encontro convocado por Raoni Metuktire, à beira do Xingu. Ao lado de Ângela, uma das filhas do líder seringueiro Chico Mendes, e a líder indígena Sônia Guajajara, o cacique caiapó falou sobre a união para combater o que ele considera retrocessos nas políticas do governo Bolsonaro em relação ao meio ambiente e às terras indígenas.

"Acho que todo mundo sabe, o Brasil inteiro deveria saber, ele (Bolsonaro) está atacando todo mundo, não só os índios. Ele ataca os índios mais forte ainda. Eu fiz esse encontro e desse encontro vai sair um documento para mandar para fora, para o Brasil ver o que estamos fazendo, defender a nossa terra. Para ele parar de falar mal da gente”, disse Raoni em declaração à imprensa, traduzida por um assessor.

Uma carta aberta a Congresso e ao Ministério público será divulgada nesta sexta-feira (17), último dia do encontro, realizado na terra indígena Capoto-Jarina, no Mato Grosso. Em curso desde segunda-feira, o evento reúne cerca de 320 indígenas de diferentes estados e etnias, além de representantes do Conselho Nacional de Extrativistas.

Leia também: Desmatamento na Amazônia cresce 183% em dezembro comparado ao mesmo mês de 2018

“Hoje o cenário nos preocupa muito mais do que 30 anos atrás. Mais do que nunca se faz necessária uma grande aliança. Nos junta, somar a nossa força, minha como filha de Chico Mendes, que continuo na luta e na defesa do legado dele, dos extrativistas que lutaram ao lado dele, para se juntar ao grande legado e à grande história dos povos indígenas” afirmou Ângela.

Governo

A Funai (Fundação Nacional do Índio) divulgou uma nota oficial nas redes sociais para comentar a realização do encontro promovido por Raoni.

"É um evento totalmente privado e em nada está alinhado à política institucional desta fundação. Como entidade oficial do Estado brasileiro nas questões indígenas, a Funai não participa de eventos particulares ou sequer apoia iniciativas que são alheias ao projeto governamental do órgão”, diz o comunicado.

Entre as tantas tensões entre o governo Bolsonaro e os índios, a mais recente é o projeto deliberar a exploração econômica de áreas indígenas, com permissões para mineração, construção de hidrelétricas e exploração de petróleo e gás.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree