-->

Bolsonaro diz que condecorou Adriano porque em 2005 o miliciano era herói

15 Fevereiro 2020

Reprodução / Polícia Civil
Adriano Nóbrega morreu durante um confronto com a polícia no último domingo (9).

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (15) que condecorou o miliciano Adriano

da Nóbrega em 2005 porque, na época, o capitão era considerado um herói no Rio de Janeiro. A fala foi feita após Bolsonaro participar da inauguração da alça de ligação da Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha.

"Sem querer defendê-lo, desconheço a vida pregressa dele. Naquele ano [2005], ele era herói da Polícia Militar". Bolsonaro destacou também não ter ligações com a milícia do Rio. "Não conheço a milícia do Rio de Janeiro, não existe nenhuma ligação minha com a milícia do Rio de Janeiro. Zero."

O ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) foi morto no último dia 9 no município de Esplanada, na Bahia. Nóbrega era investigado por diversos crimes e procurado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ele era também acusado de envolvimento nas mortes da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Franco.

Leia também: Bolsonaro: 'quem é reponsável pela morte do Adriano? A PM da Bahia, do PT'

Ao lado do pai, o senador Flávio Bolsonaro, sem partido, explicou a homenagem que fez a Nóbrega, em 2005. "Eu, como deputado estadual, homenageei centenas e centenas de policiais militares que venciam a morte todos os dias, que sobreviviam à troca de tiros contra traficantes e vou continuar defendendo", disse. "Não adianta querer vincular à milícia, porque não tem nada com milícia. Condecorei Adriano há mais de 15 anos", completou.

Cerimônia religiosa

Após a inauguração da alça rodoviária, o presidente participou da celebração religiosa de homenagem aos 40 Anos da Igreja Internacional da Graça de Deus, na Praia de Botafogo, na zona sul da cidade.

Ao chegar ao palco, o presidente foi aplaudido e disse que "o Brasil é laico, mas o presidente é cristão. O Brasil está mudando", ressaltou. "Tem governo que respeita a família, deve lealdade a seu povo e acredita em Deus.”

Leia também: Ex-Bope mentiu à PM e seguia usando carteira funcional após expulsão

Ao final, Bolsonaro agradeceu os votos e disse que o apoio dos evangélicos o ajudou a "vencer os obstáculos". O presidente deixou o local do evento por volta das 17h.


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree