-->

"Quis botar na agência dele um energúmeno", diz Bolsonaro sem citar Witzel

15 Fevereiro 2020
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro participou de inauguração de obra no Rio de Janeiro

Durante a inauguração da alça viária que ligará a Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha, que ocorreu na tarde deste

sábado, na Zona Portuária do Rio, o presidente Jair Bolsonaro alfinetou o governador do Rio Wilson Witzel, mas sem citar seu nome. "Nós sabemos que há pouco um governador quis botar na agência dele um energúmeno. Não dá certo", disse em meio a uma fala sobre a necessidade de indicar pessoas capacitadas para integrar agências reguladoras.

Após o fim da cerimônia, durante entrevista com jornalistas, ele foi questionado sobre quem seria o energúmeno ao qual havia se referido. "Vá no dicionário. Você fez faculdade para isso", disse ele ao repórter, parecendo ter entendido que o jornalista havia questionado o significado da palavra.

As obras da alça viária foram feitas pela concessionária Ecoponte, que administra a Ponte Rio-Niterói. Apesar da construção ter sido realizada com o apoio da prefeitura e governo do estado, Witzel não compareceu ao evento. A concessão da ponte Rio-Niterói é federal.

Leia também: Bolsonaro repete de "banana" contra imprensa e cobra elogios

Já o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, que busca apoio de Bolsonaro para as eleições municipais deste ano, esteve na inauguração. Ele subiu ao palco do evento e discursou. O político usou parte de seu tempo para, mais uma vez, criticar a concessionária que atualmente administra a Linha Amarela.

"A Linha Amarela, diferentemente da Ponte, tem o pedágio mais caro do Brasil e não está investindo R$ 500 milhões (referindo-se aos investimentos feitos pela Ecoponte). Pelo contrário. Deu um prejuizo de R$ 500, atestado pelo nossa controladoria, nossos engenheiros, e pelo Tribunal de Contas do município. Esperamos poder convidar vossa excelência, quem sabe um dia, a devolver a Linha Amarela ao povo", afirmou.

Leia também: "O Brasil é laico, mas o presidente é cristão", diz Bolsonaro em comemoração

Além de Crivella, também estavam na inauguração o prefeito de Angra, Fernando Jordão (PMDB), o de São Gonçalo, José Luiz Nanci (Cidadania) e de Niterói, Rodrigo Neves (PDT). Também havia parlamentares presentes, como o deputado estadual Fernando Salema (PSL) e a deputada federal Flordelis dos Santos (PSD).

Inauguração

A alça que passou a ligar a Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha foi inaugurada na tarde deste sábado. A obra, que durou 20 meses, custou R$ 230 milhões e foi realizada pela Concessionária Ecoponte. A expectativa é de que a via desafogue o trânsito na saída da ponte, já que os motoristas não precisarão mais passar pelo início da Avenida Brasil em direção à Zona Oeste do Rio.

O fluxo previsto é de 15 mil carros por dia. Com 2,5 quilômetros de extensão, o acesso será exclusivo para veículos coletivos e de passeio. Caminhões não poderão passar pela via. A concessionária segue ainda a construção da Avenida Portuária, via com dois sentidos para veículos de cargas que ligará Manguinhos, na Avenida Brasil, com o portão 32 do Cais do Porto, no Caju. Essa obra tem previsão para ser finalizada até agosto deste ano.

Leia também: Para Bolsonaro, reservas indígenas de antecessores são “indústria de demarcação"

A Ecoponte tem ainda a promessa de investir R$ 6,5 milhões em melhorias no bairro do Caju. A previsão é de que sejam feitas pavimentação de ruas, implantação de novo sistema de drenagem, construção de áreas de lazer e melhorias no sistema viário. O projeto foi realizado em parceria com a Prefeitura do Rio.


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree