-->

Autor de impeachment de Dilma defende afastamento de Bolsonaro

19 Fevereiro 2020
Jefferson Rudy/Agência Senado
Miguel Reale Jr. disse que conduta de Bolsonaro é uma ofensa à dignidade humana

O jurista Miguel Reale Jr., coautor do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff

ao lado de Janaina Paschoal e Hélio Bicudo, defendeu o afastamento do presidente Jair Bolsonaro da presidência.

À colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, Reale Jr. disse que Bolsonaro foi "asqueroso" ao reforçar as acusações de insinuação sexual contra a jornalista Patrícia Campos Mello. "Como as mulheres brasileiras podem respeitar um presidente que, porque desgosta de uma reportagem, se sente no direito de desqualificar a repórter com um insulto asqueroso?", quetionou o jurista.

Leia também: Marina Silva chama Bolsonaro de "desprezível" e "machista"

Ainda de acordo com o advogado, a fala do presidente "é a transformação da mulher em objeto sexual vendável para a desqualificar". "Se a ofensa ao decoro leva ao impeachment, o que dizer da ofensa à dignidade humana. Quando desrespeita-se a dignidade de uma mulher dessa forma, ele está desrespeitando a dignidade de todas as mulheres", completou.

Nesta terça-feira (18), Bolsonaro disse a jornalistas na frente do Palácio da Alvorada que a jornalista "queria dar um furo" em troca de informações que pudessem prejudicá-lo. A declaração do presidente faz referência ao depoimento de Hans River dado na semana passada. Na ocasião, o ex-funcionário da Yacows, empresa que prestou serviço de envio de mensagens em massa no WhatsApp em 2018, disse que a jornalista queria informações em troca de sexo.


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree