-->

Perito da OMS diz que não há diretrizes para combater novo coronavírus

20 Fevereiro 2020

Governo da China
Produção de máscaras por surto de coronavírus


Especialistas da área de saúde estão avaliando a eficácia da quarentena

que está sendo realizada no Japão e em outros países para evitar a propagação do novo coronavírus (covid-19). Alguns consideram insuficientes as medidas de prevenção tomadas no navio de cruzeiro Diamond Princess, que está atracado em Yokohama. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), é cedo demais para avaliar a situação, já que os especialistas estão em uma corrida contra o tempo para compreender melhor a natureza do vírus.

O epidemiologista sênior da OMS Matthew Griffith é um consultor técnico que tem analisado epidemias e está assessorando autoridades japonesas. Ele afirma que, como o vírus é um alvo em movimento, é difícil coletar informações sobre o agente infeccioso e, ao mesmo tempo, prestar tratamento a contagiados.

Griffith afirma: “Antes de nós, ninguém lidou com esta situação, com o novo coronavírus, um novo agente infeccioso presente em um navio com 4 mil pessoas a bordo. Não há diretrizes para enfrentá-la. Não existem experiências prévias capazes de ajudar.”

Leia também: Coronavírus: primeiro grupo de passageiros começa a deixar navio em quarentena

Críticas vêm se intensificando no Japão e fora do país. Alguns especialistas do setor questionam se a quarentena no Diamond Princess devia mesmo ter sido realizada por duas semanas após a chegada do navio a Yokohama.

Quarentena de infectados pelo coronavírus

O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas informou que o novo coronavírus continuou a se espalhar a bordo, mesmo depois de os passageiros terem sido orientados a permanecer em sua própria cabine como medida de quarentena.

O epidemiologista comenta: “Dadas as características do navio, foi impossível isolar individualmente todos a bordo. Quando a embarcação atracou, estavam nela 4 mil pessoas e não havia aposentos suficientes para isolá-las individualmente.”

Griffith ressaltou que as decisões sobre quarentena são sempre uma média ponderada entre cautela e viabilidade prática. Acrescentou que o mundo está em território desconhecido e que, pela natureza sem precedentes do coronavírus, levará tempo até que os peritos conheçam o melhor caminho para combatê-lo


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree