-->

Farmácia se recusa a vender teste de gravidez porque "não é essencial"

29 Junho 2020

"Não é um item essencial", foi isso que uma mulher ouviu da vendedora ao tentar comprar um teste de gravidez na porta de uma farmácia. A cliente ouviu ainda que ela

"não deveria estar tentando engravidar" em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2). O caso aconteceu na Inglaterra.

shutterstock
Caso aconteceu na Inglaterra

No último 15 de junho, uma mulher britânica escreveu que foi a uma farmácia local para comprar um teste de gravidez, e posicionou-se numa fila para entrar no estabelecimento, já que, devido à Covid-19, só é permitido entrar dois clientes por vez.

Ao chegar sua vez, ela conversou com a vendedora. "Ela me perguntou o que eu queria. Eu disse: 'Um teste de gravidez'. Ela ficou realmente ofendida com isso. E disse: 'Isso não é um item essencial! Você pode pegar uma prescrição ou medicamento apenas'", relatou no site Mumsnet.

E a conversa seguiu: "Eu apenas olhei para ela e disse: 'Bem, eu gostaria de ver se estou grávida ou não. Posso comprar um ou posso falar com o farmacêutico?'", pediu a cliente. "Acabei de dizer que não. Você não deveria tentar conceber em um momento como este, de qualquer maneira", respondeu a vendedora.

A mulher então contou que foi para casa e pediu o teste pelo site da Amazon. "Fiquei impressionada com essa conversa. Eu fui educada, me afastei dela, não levantei a voz. Mas tudo bem ter gritado? E me falar que eu não deveria ter um bebê? Muito bizarro", finalizou ela, questionando se a atitude da vendedora estava correta.

Algumas usuárias do site Mumsnet, uma plataforma de bate-papo, aconselharam a mulher a reclamar do estabelecimento, mas ela explicou que tratava-se de uma farmácia de varejo, a única de sua cidade, e que preferiu comprar pela internet mesmo.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree