-->

Netanyahu deve ser acusado de corrupção hoje por procurador-geral de Israel

28 Fevereiro 2019

Creative Commons
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu deve ser acusado hoje de corrupção, suborno, fraude
e quebra de sigilo

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, será formalmente acusado nesta quinta-feira (28) pelo procurador-geral de Israel, a respeito de uma série de crimes de corrupção. As informações são da BBC. Tal acusação marcaria a primeira vez na história do país que um premiê é acusado de cometer um crime no exercício do seu mandato.

Espera-se, em Israel, que o procurador-geral Avichai Mandelblit – pessoa equivalente a Raquel Dodge, no Brasil – anuncie sua decisão ainda hoje. Se realmente acusado de corrupção, Netanyahu vai ver sua campanha eleitoral abalada, o que potencialmente pode manchar sua carreira política no país. O premiê busca um quinto mandato, nas eleições que acontecem dia 9 de abril.

Israel anuncia visita de Bolsonaro a Netanyahu em abril


Fernando Frazão/Agência Brasil
Jair Bolsonaro se encontrou com o primeiro-ministro de Israel no Forte de Copacabana em janeiro

A situação do premiê de Israel com a Justiça de seu próprio país é relevante aos brasileiros porque, ainda hoje, o presidente Jair Bolsonaro foi confirmado pelo governo israelense como visita garantida ao país, dias antes das eleições. A visita de Bolsonaro a Israel teria o objetivo de servir como um impulso eleitoral para o primeiro-ministro israelense.

O Ministério das Relações Exteriores de Israel informou que Bolsonaro visitará o país entre 31 de março e 4 de abril, mas não deu mais detalhes.

Empossado em janeiro, Bolsonaro não escondeu seu posicionamento pró-Israel, recebendo o premiê na cerimônia de posse e sinalizando claramente o seu desejo de transferir a embaixada do Brasil no país para Jerusalém – mesmo que nenhuma data para isso tenha sido definida. A transferência de embaixada seria a exemplo do que foi feito pelo presidente norte-americano, Donald Trump, outro que demonstra afeto e proximidade com o israelense.

Internamente, Netanyahu é acusado, ainda informalmente, pelos crimes de suborno, fraude e quebra de sigilo. Ele nega qualquer irregularidade e diz que as diversas alegações contra ele não passam de um "caça às bruxas" promovido pela imprensa para retirá-lo do poder.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree